Inicio | Economia | Empresa investe 60 milhões de euros para recuperar projeto imobiliário parado em Armação de Pêra

Empresa investe 60 milhões de euros para recuperar projeto imobiliário parado em Armação de Pêra

Uma empresa portuguesa vai investir 60 milhões de euros na recuperação de um projeto imobiliário que estava parado, perto da praia dos Pescadores, em Armação de Pêra, disse o promotor.

O diretor da empresa que vai realizar o investimento “residencial”, José Botelho, disse à Lusa que o projeto surge de outro que previa a construção de apartamentos de tipologias T1, T2 e T3, que começou a ser feito em 2011, mas, “por vicissitudes da crise e da presença da ‘troika’ em Portugal, acabou por não avançar”, quando já se tinha iniciado o processo de vendas.

“Já tinham 62 ou 63 contratos-promessa de compra e venda assinados e com sinais recebidos”, referiu o responsável da Vanguard Properties, frisando que, já com o novo promotor, “as pessoas que tinham investido dinheiro na subscrição de contratos-promessa de compra e venda em planta foram ressarcidas”.

Em março, o novo promotor finalizou a aquisição do projeto que estava parado, e que já estava licenciado até 2020, e iniciou a sua reformulação para elevar a tipologia dos apartamentos de luxo, criar mais serviços para os residentes e “reduzir a densidade”, passando dos 296 apartamentos inicialmente previstos para 256, explicou o empresário.

“Como o projeto inicial era de 2008 ou 2009, já não estava adaptado à atual condição do mercado e entregámos o novo projeto ao arquiteto Miguel Saraiva para criar um empreendimento com uma gama em termos de qualidade bastante superior, porque achámos que, dada a localização, seria melhor reduzir densidade, com um projeto mais leve, adaptado à zona”, justificou.

Questionado sobre a nova calendarização do projeto, que nasce numa zona privilegiada do concelho de Silves, a poucos metros da praia dos Pescadores, em Armação de Pêra, José Botelho respondeu que tem previsto iniciar as obras no próximo mês de setembro e que o prazo de execução é de 24 meses.

“Estamos a ultimar a versão final do projeto, o nosso objetivo é no mês de julho iniciarmos a comercialização em planta, através de reservas. Dentro de dias estarão os tapumes feitos e estará completa a nova imagem e esperamos intervir numa edificação que já existe ainda em julho, para começar a construção a partir de setembro, outubro”, precisou.

Está também previsto que a empresa faça “reabilitação paisagística dos terrenos envolventes”, acrescentou, considerando que o projeto dá “uma das últimas oportunidades para alguém ter uma casa ou um apartamento perto da praia” no Algarve, “onde há maioritariamente empreendimentos turísticos ou hotéis”.

Verifique também

Câmara de Vila do Bispo aprova orçamento de 14,8 milhões de euros para 2019

A Câmara de Vila do Bispo aprovou um orçamento para 2019 no valor de 14,8 …