Breves
Inicio | Economia | Empresário algarvio cria linha de acessórios em cortiça para golfe

Empresário algarvio cria linha de acessórios em cortiça para golfe

GolfeUm empresário algarvio criou uma linha de acessórios para golfe em cortiça, que inclui um saco para transportar os tacos, feito à mão, que está a surpreender os golfistas por ser ecológico, impermeável e leve.

A linha de acessórios – que inclui sacos de golfe e capas de proteção para os tacos, entre outros artigos -, é integralmente concebida no Algarve com cortiça portuguesa, um material 100% natural, biodegradável e duradouro, explicou à Lusa o mentor da ideia, Nuno Nascimento.

“Os estrangeiros ficam surpreendidos, não querem acreditar, pois têm mais conhecimento da cortiça relativamente ao mercado da rolha do vinho, existe sempre uma grande curiosidade”, contou o empresário, de 38 anos, que também pratica golfe.

Desde criança que Nuno se habituou a acompanhar o avô no negócio da compra e venda de cortiça, setor no qual começou a trabalhar aos 20 anos. Quase duas décadas depois, decidiu aliar a experiência profissional ao seu principal “hobby” e fundar a empresa “The Cork Tree”.

Assumindo que a maioria dos seus clientes são estrangeiros, o empresário sublinhou que a empresa tentou que os sacos de golfe, cujo preço ronda os 300 euros, fossem acessíveis a quem pratica a modalidade em Portugal.

“É um saco em pele, feito à mão e tem os seus custos, mas tentámos ao máximo não criar dificuldades. O saco é pouco mais caro do que um saco normal de uma marca comum”, observou, adiantando que pode ser personalizado.

O golfista profissional José Cautela, de 32 anos, foi um dos primeiros a adquirir o saco feito em pele de cortiça, há dois anos, e contou à Lusa que a maior vantagem é mesmo o facto de se tratar de um material impermeável, uma vez que os golfistas jogam muito à chuva.

Também Sebastião Gil, ex-treinador da Federação Portuguesa de Golfe, é outros dos “adeptos” dos sacos em cortiça e relatou que as pessoas, muitas vezes, não acreditam que se trata realmente de cortiça, pedindo-lhe para tocar no saco.

“As pessoas não querem acreditar que é cortiça, passam com a mão e perguntam se é impermeável”, contou o golfista, que gere a loja do campo de golfe da Quinta da Ria, em Cacela, Vila Real de Santo António.

A empresa “The Cork Tree” é composta por uma equipa que pode oscilar entre oito e 14 pessoas, consoante as encomendas, e que inclui uma “designer” e várias costureiras, que trabalham nos “ateliers” de Faro e Albufeira.

O saco de golfe em cortiça concebido pela empresa ganhou, em outubro, o prémio de melhor saco, numa feira da modalidade realizada em Augsburg, na Alemanha.

Verifique também

Empresa municipal de Vila Real de Santo António vai vender Hotel Guadiana

A empresa municipal de Vila Real de Santo António Sociedade de Gestão Urbana (SGU), que …