Pub

A iniciativa, promovida pela Câmara de Loulé e pela Junta de Freguesia local, sob a coordenação de Jack Soifer, consultor internacional na área do turismo – que já tem mais de 40 obras publicadas e que nos últimos anos se tem dedicado a escrever sobre a exportações e sustentabilidade – ainda com a participação de empresários de diversas áreas.

Alexandra Monteiro, da Herdade Jóia do Sul, cujo azeite ali produzido já ganhou três prémios internacionais de melhor extra-virgem, exortou à criação de parcerias empresariais. “É com as parcerias que vamos chegar mais longe. Chegou a altura de criarmos sinergias porque sozinhos não vamos a lado nenhum”, apelou.

Sónia e Sílvia Candeias, produtoras figo da índia e de compotas e licores artesanais também apelaram ao apoio entre produtores. “Precisamos de produtores para conseguir entrar no mercado nacional e internacional”, sustentaram.

Marta Gregório, representante de uma oficina auto, testemunhou a importância de fazer parte de uma rede de oficinas e sublinhou que 25% da faturação da sua empresa é proveniente de clientes estrangeiros exigentes que, no Algarve, procuram uma empresa de confiança para reparação e manutenção das suas viaturas.

O comendador António Silvestre, da herdade alentejana do Vale da Rosa, produtora de uva de mesa sem grainha que exporta grande parte da sua produção, alertou para a necessidade de Portugal aproveitar as “condições únicas” de que possui para “produzir sabor”. “Temos excelentes condições que não estamos a aproveitar”, advertiu.

No encontro, que procurou mostrar caminhos para melhor aproveitar os recursos do interior por forma a introduzi-los no mercado de exportação, Jack Soifer testemunhou a sua experiência de trabalho com países importadores do norte da Europa e destacou a importância de implementação de um plano estratégico. “Temos de ter um plano ativo para sair de crise que não é apenas financeira”, aconselhou.

O encontr contou ainda com a participação de Antonieta Guerreiro, representante do Instituto da Democracia Portuguesa no Algarve, e de Orlando Caixeirinha, diretor do BNI – Business Networking Institute, bem como de empresários holandeses, alemães, suecos e brasileiros.

A iniciativa terminou com uma degustação de produtos regionais.

Pub