Pub

Acolhidos e acompanhados pelos Agrupamentos 98 Faro, 290 Loulé e 1052 Quarteira, montaram acampamento em Loulé, nos terrenos circundantes ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade (Mãe Soberana).

Um dos dirigentes belgas, em conversa dissera mesmo que «o motivo da nossa vinda encontra-se de querermos conhecer e colaborar com outros escuteiros e associações ambientais, perceber a natureza local desta zona da Europa e aprender novas técnicas de acção ambiental», acrescentando que «um dos factores para escolher o Algarve foi não conhecerem Portugal e optar por uma região geográfica diferente da sua».

Inseridos num projecto conjunto entre a Protecção Civil, a Câmara Municipal de Loulé e as Associações locais de limpeza das praias do concelho, ao longo dos dias que permaneceram acampados em Loulé (13 a 19 de Julho), colaboraram diariamente nestas acções ambientais. Algumas das noites foram aproveitadas para conhecer a realidade turística algarvia e conviver com os agrupamentos acima referidos que se juntaram em Loulé e Quarteira para convívio entre os escuteiros locais e os belgas. Para os escuteiros belgas estes foram dias «um pouco cansativos, pois havia sempre muito a fazer, mas dias agradáveis de interacção e mútua aprendizagem», mostrando-se também maravilhados com a região e os costumes locais, que, como eles próprios disseram «totalmente diferentes da nossa vida».

É de referir que este tipo de acções e actividades (vindo em viaturas próprias de tão longe) são habituais na vida escutista destes jovens, tendo inclusivamente, um dos dirigentes (com 23 anos), sido voluntário no Haiti. Ou seja, o voluntariado fora do seu país é algo habitual.

Pub