Pub

Esta primeira ação da campanha de sensibilização, a realizar durante o verão, contou ainda com a presença do vereador da Câmara Municipal de Albufeira, Carlos Quintino, responsável pelo pelouro da Proteção Civil, do tenente Pinto Alves, da Autoridade Marítima, e da Associação de Nadadores Salvadores de Albufeira.

A ação de informação junto dos veraneantes, turistas e demais frequentadores das praias de Albufeira, que decorre sempre das 9.30h às 12.30h, visa a distribuição de folhetos informativos sobre os riscos e perigos das arribas e o aconselhamento sobre medidas de autoproteção.

O vereador Carlos Quintino lembra que “desta forma assumimos uma cultura de prevenção de forma a garantir a segurança e o bem-estar da população residente e visitante”. “Este tipo de ações, promovem a interação entre o poder local, população/veraneantes e os vários agentes da Proteção Civil, no sentido de minimizar os riscos causados pela erosão das belas mas por vezes perigosas arribas de albufeira, maximizando assim a segurança”, acrescenta.

A próxima ação da campanha está agendada para dia 9 de julho e vai decorrer na praia da Rocha Baixinha, seguindo-se, a 17 deste mês, a praias dos Pescadores e Peneco, a 23 de julho a Praia de Sta. Eulália e a 30 de julho as praias da Galé, Evaristo e Manuel Lourenço.

Em agosto, no dia 6, a campanha chega às praias da Oura e Oura Leste, no dia 13 às praias dos Alemães e Inatel, no dia 21 às praias de Olhos d’ Água e Maria Luísa e no dia 27 às praias da Coelha e São Rafael.

Recorde-se que já o ano passado, os escutas do Agrupamento 1009 de Paderne do CNE participaram numa campanha idêntica, realizada em julho e agosto (ver notícia).

Em todo o país, mais de 150 zonas balneares têm este ano falésias em risco, a maioria na costa algarvia, onde no inverno passado houve 20 desmoronamentos e este ano já foram necessários saneamentos controlados em cinco praias, por razões de segurança.

No Algarve, onde este ano há mais quatro praias com arribas em risco do que no ano anterior, o total de desmoronamentos ocorridos no inverno abrangeram 170 metros de praia.

Foi precisamente no Algarve que há dois anos cinco pessoas morreram e três ficaram feridas quando ruiu a falésia da praia Maria Luísa, em Albufeira.

Em todo o litoral algarvio há 181 placas que identificam as faixas de risco das zonas balneares, nos concelhos de Albufeira (60), Silves (14), Lagoa (29), Portimão (33), Lagos (13), Vila do Bispo (19) e Aljezur (13). Cada praia pode ter mais do que uma placa de indicação de faixa de risco. Ao todo, há 76 praias com essa sinalização.

Redação com Lusa
Pub