Pub

A viagem, planificada pelos Lobitos (escutas entre os 6 e os 10 anos de idade) e respetiva equipa de animação da Alcateia (e extensiva às outras secções etárias), ocorreu no contexto do 85º aniversário da fundação do Escutismo Católico Português – Corpo Nacional de Escutas (CNE), que se assinalou no passado 27 de maio.

Como tal, os escuteiros do Agrupamento 1331 propuseram-se a celebrar este aniversário por ocasião de outra data igualmente a caminho do centenário: os 95 anos das Aparições de Fátima (maio de 1917). “Esta relação histórica e temporal, canalizada para um lugar de fé e de memória, muito especial para o escutismo, e o culminar de um período de muitas atividades dos Lobitos de Carvoeiro, levou a que se reunisse esforços e muita dedicação dos pequeninos escuteiros no sentido de também eles puderem ser peregrinos no maior santuário mariano do mundo: Fátima”, explica a organização.

Desse modo, 27 Lobitos, acompanhados por cinco Moços (escutas do ramo marítimo entre os 10 e 14 anos) e cinco Marinheiros (escutas do ramo marítimo entre os 14 aos 18 anos), além de oito dirigentes adultos e de uma mãe de um Lobito que integrou a equipa de responsáveis da atividade, partiram de Carvoeiro no sábado e visitaram na tarde desse dia as grutas de Santo António, na serra com o mesmo nome situada nas faldas da Serra de Aires e Candeeiros.

Ao fim da tarde, já em Fátima, na comunidade paroquial de Montelo, onde os Marítimos de Carvoeiro contaram com o apoio logístico do Agrupamento 682 de Fátima, montaram o acantonamento. E aí, juntamente com a comunidade local, participaram na Eucaristia vespertina na capela de Nossa Senhora da Vida.

No domingo de manhã participaram na recitação do rosário e na Eucaristia em pleno santuário e visitaram a basílica e aos túmulos dos três Pastorinhos.

Na viagem de regresso foram entregues insígnias de progresso e de competência.

Pub