Pub

A partir de quarta-feira e até sexta, o Centro Cultural de Lagos recebe especialistas em serviços educativos de várias instituições ligadas à ciência e cultura, que irão debater questões ligadas a essa área.

O seminário "Serviços educativos em espaços culturais", promovido pela Associação de Gestores Culturais do Algarve (AGECAL), visa promover uma troca de experiências e lançar perspectivas evolutivas sobre o tema.

"Não pretendemos obter conclusões com este seminário, mas sim reflectir sobre as diferentes metodologias dos serviços educativos de diferentes instituições", disse à Lusa Jorge Queiroz, presidente da direcção da AGECAL.

Segundo aquele responsável, a questão da "mediação" entre os programas científicos, culturais e artísticos e os diversos públicos, particularmente escolares é relativamente recente, muito em parte devido ao facto de a sociedade actual ser cada vez mais "exigente".

Por outro lado, os públicos escolares e infanto-juvenis representam um peso "considerável" no número de visitantes das estruturas culturais, pelo que se torna cada vez mais necessária a existência desses serviços.

"O público de cultura está a crescer e o turismo cultural também é um sector em expansão", frisa Jorge Queiroz, acrescentando que a formação nessa área é outra das questões que será debatida durante o seminário.

Aquele responsável defende mesmo que numa futura licenciatura de Gestão Cultural deveria integrar um ramo de especialização em serviços educativos, uma vertente que requer conhecimentos específicos.

"Para abordar grupos etários mais jovens é preciso ter conhecimentos ao nível da psicologia do desenvolvimento e saber lidar com públicos diferentes", sublinha o presidente da direcção da AGECAL.

O seminário, que está praticamente com lotação esgotada e conta já com 250 inscrições, arranca quarta-feira com uma sessão inaugural e uma conferência com Susana Gomes da Silva, do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.

Na quinta-feira, são apresentadas as experiências do Departamento de Educação do Vitoria and Albert Museum, em Londres, e da Direcção Geral de Museus e Arte Emergente da Andaluzia, em Espanha.

Nesse dia serão ainda debatidas as experiências portuguesas em serviços educativos com os casos da Biblioteca Municipal de Beja, Pavilhão do Conhecimento, Mosteiro de Tibães, Fundação Serralves e Centro Cultural de Vila Flor.

Na sexta-feira o dia é inteiramente dedicado às experiências no Algarve, com palestras de responsáveis do Centro Cultural de Lagos, museus de Faro, Loulé, Tavira e Portimão e Centro de Ciência Viva de Faro, entre outros.

Pub