Pub

Coordenado pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), o estudo, concluído no Verão passado, servirá de ponto de partida para a elaboração do Plano de Risco Sísmico do Algarve, que deverá estar terminado no primeiro semestre deste ano.

Ao reunir dados concretos sobre os riscos existentes em caso de sismo, o estudo pode ser útil para atenuar consequências de acidentes graves ou catástrofes, nomeadamente através do desenvolvimento de um plano especial de emergência.

O objectivo, diz o Ministério da Administração Interna (MAI) em comunicado, é "desenvolver políticas de prevenção e protecção adequadas para o Algarve, quantificando as vulnerabilidades para se poder estimar eventuais danos directos, face a diferentes cenários de catástrofe sísmica".

Durante a sessão será ainda feita uma demonstração do simulador de cenários sísmicos desenvolvido ao abrigo do estudo e instalado na passada semana no Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

A aplicação informática foi testada pela primeira vez com dados reais depois do sismo de magnitude 6.0 registado na madrugada de 17 de Dezembro e com epicentro ao largo do Algarve, segundo disse na altura fonte da ANPC.

Com a introdução de dados como o epicentro, a intensidade e a hora de ocorrência do sismo, o simulador permite em poucos minutos apresentar um mapa das zonas críticas e a estimativa dos danos materiais e humanos.

Em Fevereiro de 2008, numa sessão de apresentação dos progressos do estudo igualmente presidida pelo ministro da Administração Interna, realizada em Faro, eram divulgadas algumas conclusões preliminares do estudo. De acordo com os resultados prévios adiantados na altura, um sismo com a mesma magnitude do registado em 1755 (estimada em 8,5 graus na escala de Richter) causaria hoje no Algarve cerca de três mil mortos e 27 mil desalojados.

A apresentação deste estudo integra o programa da visita do ministro Rui Pereira a quatro concelhos do Algarve, hoje e Sábado.

Ainda hoje, a comitiva de Rui Pereira, que vai integrar os três secretários de Estado do Ministério da Administração Interna, visitará também as instalações da Direcção Regional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em Faro, a PSP de Lagos e a GNR de Vila do Bispo.

No sábado realiza-se às 10:30 em Tavira uma sessão dedicada à segurança no Algarve, último item de agenda da visita do ministro à região, que termina num almoço com todos os presidentes de câmara do Algarve.

Pub