Pub

Transportes_publicosAumentar a atratividade dos transportes públicos algarvios através da sua modernização e reorganização e melhorar as acessibilidades no Algarve central são as linhas mestras do estudo de mobilidade interurbana que está hoje a ser apresentado em Olhão.

O estudo iniciado em finais de 2012 debruçou-se essencialmente sobre os concelhos de Albufeira, Faro, Loulé, Olhão, São Brás de Alportel e Tavira, que, através do projeto “Algarve Central”, vêm intensificando a cooperação.

A equipa responsável pelo estudo defende que as propostas de intervenção no terreno e a promoção dos transportes coletivos vão reduzir a utilização de transportes individuais, superior a 60%, e a sinistralidade rodoviária.

Maria João Silveira, uma das responsáveis pelo estudo, explicou à Lusa que o estudo propõe o reforço de competências da Comunidade Intermunicipal do Algarve em matéria de mobilidade e transportes, o que poderá permitir a criação de uma equipa responsável pelo planeamento e exploração do sistema de transportes.

O estudo defende que a promoção da utilização dos transportes públicos passe também pela modernização da linha ferroviária do Algarve e pelo reforço da oferta de serviços de transportes públicos e de táxis.

As acessibilidades são outra das vertentes trabalhadas no estudo, tendo Maria João Silveira dado como exemplo de intervenções estruturantes para a resolução dos problemas de acessibilidades intermunicipais a construção da variante norte de Olhão e a conclusão da segunda fase da variante de Faro.

A expansão da rede ciclável intermunicipal, a articulação dos sistemas de utilização conjunta de viatura como “carpooling” e o “carsharing” e uma política de estacionamento que desincentive a utilização de transporte individual são outras propostas do trabalho.

“O nosso estudo está concluído e agora tem de existir acima de tudo vontade política para o implementar”, comentou Maria João Silveira, vincando que com as alterações legislativas em curso será mais fácil ultrapassar entraves com que os municípios se deparavam.

A responsável disse que o anteprojeto de regulamentação de transportes em automóveis dá a possibilidade de “concretizar algumas medidas inovadoras assim como delegar também competências naquelas que são as comunidades intermunicipais”.

O diálogo e a negociação com entidades competentes na área da mobilidade e transportes da Administração Central para a concretização de medidas que saem da alçada regional e a análise dos fundos comunitários e outras fontes de financiamento são passos vitais neste processo, prosseguiu.

Pub