Pub

A exposição apresenta "imagens de várias épocas, de códigos estéticos e conceptuais distintos, mas que podem ser fruídas, sentidas e vividas hoje com a mesma intensidade", disse a organização da exposição, a cargo da galeria Ratton, com a colaboração da Direcção Regional de Cultura do Algarve, e que integra o programa Allgarve2010.

"Faz cinco anos da morte de René Bertholo e esta exposição é também uma homenagem na sua terra a esse grande artista português", afirmou Tiago Monte Pegado, da galeria Ratton, referindo-se a Milreu, local do Algarve onde o pintor se estabeleceu desde 1981 até à sua morte.

A mesma fonte disse ainda que esta "será uma oportunidade para ver uma parte menos conhecida da obra de René Bertholo, sobretudo no Algarve".

"São trabalhos em cerâmica e três esculturas. São obras originais e estudos de preparação para duas grandes intervenções que fez na estação ferroviária de Venda de Alcaide e na estação de Metro da Avenida de Roma", acrescentou.

Para os organizadores, "a obra de René Bertholo é reconhecida entre as mais originais e complexas da sua geração, não apenas pela diversidade de expressões, mas também pelo contraste entre uma aparente simplicidade e a profundidade da sua conceção do mundo e da sua época".

"Além destas razões, a escolha de René Bertholo de fixar a sua vida no Algarve desde 1981, reforça o sentido desta homenagem", sublinhou a organização da exposição, que poderá ser vista de terça feira a domingo, até 29 de setembro.

René Bertholo nasceu em Alhandra em 1935 e no final década de 1950 instalou-se em Paris, onde veio a criar a revista "KWY", em colaboração com outros artista portugueses da época, como Lourdes Castro, José Escada, Costa Pinheiro, que se constituíram como movimento artístico.

Lusa

Pub