Pub

Professor na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve (UAlg), lecionou disciplinas de História da Cultura, História do Algarve e Direito do Património Cultural. Era diretor da Biblioteca da Universidade. Coordenava o curso de mestrado em História do Algarve e era o responsável pelo Centro de Estudos de Património e História do Algarve (CEPHA).

A UAlg, que já manifestou “profundo pesar” pelo falecimento de António Rosa Mendes e apresentou as suas sinceras condolências a toda a família e amigos do falecido, decretou três dias de luto académico.

Natural de Vila Nova de Cacela, estudou em Faro. Licenciou-se em História e em Direito. Mestre e Doutor em História, António Rosa Mendes era um professor exemplar e muito contribuiu, nos últimos anos, para impulsionar a investigação científica em torno da História do Algarve.

O percurso de Rosa Mendes fica ainda marcado por ter presidido, em 2005, à iniciativa “Faro, Capital Nacional da Cultura”.

O historiador foi ainda um dos convidados do Fórum Pastoral da Cultura, promovido pela Diocese do Algarve, em maio do ano passado.

O reitor da Universidade do Algarve, João Guerreiro, afirmou “lamentar profundamente o desaparecimento deste investigador e recorda António Rosa Mendes como “um personagem comprometido com a região algarvia, com uma sólida personalidade e uma cultura invejável, sempre disponível para as iniciativas que conduzissem à valorização do conhecimento”. “Cultivando uma fina ironia, António Rosa Mendes, aproveitava todas as oportunidades para evocar o seu Algarve. Como professor, deixa seguramente uma imensa saudade junto dos seus alunos pela forma como se entusiasmava nas suas aulas em torno das matérias relacionadas com a História do Algarve. Perde-se, além de mais, um amigo de trato elegante, animador entusiasmado de tertúlias e companheiro exigente de lutas sociais”, considera João Guerreiro.

O corpo de António Rosa Mendes já está em câmara ardente na igreja de Vila Real de Santo António, onde permanecerá até amanhã de manhã, seguindo depois para a igreja de Cacela, onde, pelas 11h, será realizado o seu funeral, presidido pelo padre Agostinho Pinto, pároco local.

Samuel Mendonça

Pub