Pub

Faleceu ontem José Santos Pereira, médico cirurgião fundador e presidente da Associação Oncológica do Algarve (AOA), vítima de paragem cardíaca.

A AOA destaca a “visão, a dedicação e o empenho” de Santos Pereira em prol do doente oncológico. “Deu ao Algarve o Rastreio do Cancro de Mama (2005) e a Unidade de Radioterapia (2006), colmatando a injustiça social existente até então, facto insignificante perante o número de vidas salvas pelo diagnóstico precoce ou pelos tratamentos prestados diariamente a seres humanos que passaram a ter acesso a estes cuidados de saúde”, refere aquela instituição.

A associação acrescenta que dará “continuidade à grande obra e à vontade” do seu presidente.

Santos Pereira, que tinha completado 80 anos em dezembro passado, foi em 2012 distinguido pelo Ministério da Saúde que lhe atribuiu a Medalha de Mérito da Saúde – Grau Ouro, pelo seu trabalho de luta contra o cancro. No mesmo ano, recebeu também da Câmara de Faro a medalha de mérito municipal – Grau Ouro.

A autarquia já emitiu uma nota de pesar pelo falecimento, na qual realça que o “concelho, a região e o país ficaram mais pobres com o desaparecimento deste homem” que em 1978 escolheu a cidade de Faro para desenvolver a sua prática profissional. “O Dr. Santos Pereira deixa para trás uma vida dedicada à melhoria das condições de saúde dos algarvios vítimas de cancro, e uma carreira médica de grande mérito, marcada por grande altruísmo, sentido de dedicação e ética. Santos Pereira representou também um contributo extraordinário para a qualidade de vida de todos os Farenses e Algarvios quando, em 1994, fundou a Associação Oncológica do Algarve, prestigiada entidade cujo objetivo principal é a luta contra o cancro e o apoio a quem padece desta doença, prestando não só apoio social e humano mas também promovendo a integração destes doentes na comunidade”, acrescenta a autarquia.

A Câmara de Faro destaca a última das suas “importantes conquistas em matéria de prevenção e combate contra o cancro”: a inauguração do segundo acelerador linear de última geração da região, para tratamentos de radioterapia no passado dia 12 de dezembro.

O município garante que ainda irá “desenvolver esforços para reconhecer e imortalizar a enorme obra e dedicação” de Santos Pereira.

Também a Universidade do Algarve lamentou a morte do cirurgião, lembrando que foi “o principal obreiro da criação da Unidade de Radioterapia do Algarve, além de muitas outras melhorias para os doentes oncológicos algarvios”. “Muito recentemente apoiou a Universidade do Algarve na angariação de fundos para a aquisição e instalação do Centro de Simulação Médica do Algarve”, refere a nota emitida, acrescentando que o falecido era ainda membro do Conselho Consultivo da Escola Superior de Saúde da academia algarvia.

Também a Junta de Freguesia já lamentou a morte de Santos Pereira. “O falecimento do Dr. Santos Pereira representa uma grande perda para o Algarve e para o País, pelo contributo que deu à nossa sociedade, tanto na área da saúde como na vertente humana”, considera o presidente da Junta, Steven Piedade, enaltecendo as iniciativas “de grande mérito” desenvolvidas pelo falecido que “contribuíram para elevar a qualidade de vida dos doentes oncológicos”.

O corpo de Santos Pereira estará hoje em câmara ardente na igreja dos Capuchos, em Faro, a partir das 14.30h, e o seu funeral será celebrado amanhã, 3 de fevereiro, às 10.30h, seguindo o féretro para o cemitério da Esperança, onde ficará sepultado.

A AOA informa, “a pedido da família e conforme seria o desejo” de Santos Pereira, que será colocada uma caixa na igreja na qual todos os que entenderem poderão deixar um contributo para a obra daquela associação, em alternativa às coroas de flores.

Pub