Pub

Falando no final de uma visita à Loja, inaugurada a 03 de abril de 2009, Feliciano Barreiras Duarte afirmou que só no ano passado, a aquela estrutura – a única Loja do Cidadão do Algarve – atendeu 336 mil pessoas.

"Vamos trazer para a Loja outro tipo de serviços públicos e operacionalizá-la para que ela esteja à altura das necessidades", disse, precisando que "há serviços públicos espalhados pela cidade [de Faro] que faz todo o sentido que se equacione a possibilidade de virem para aqui".

O secretário de Estado refutou que o Governo tenha qualquer intenção de limitar a modernização administrativa em curso, sublinhando contudo que está a ser feita uma avaliação loja a loja entre a rede de 32 estabelecimentos congéneres a nível nacional.

Feliciano Barreiras Duarte afirmou que o Executivo quer alargar a rede e considerou prioritária a modernização administrativa que esse alargamento representa, considerando que Portugal constitui, nesse aspeto, "um país com boas práticas", que brevemente serão "exportadas" para o México, Brasil e Hungria, através de protocolos a estabelecer.

Sobre a rede nacional, o governante confirmou que a Loja do Cidadão dos Restauradores "passará" em breve para o Saldanha porque representa um encargo para o Estado de 600 mil euros por ano e revelou que a nova loja terá um custo quase nulo.

Na passada semana, em Lisboa, o membro do Governo anunciou o fecho da Loja dos Restauradores devido à despesa e ao facto de ser uma das estruturas de atendimento com maior número de queixas entre as 32 existentes do País, mas não deu a certeza quanto à mudança para os Restauradores.

O secretário de Estado negou que haja qualquer intenção simbólica no facto de a visita decorrer num dia de Carnaval em que o Governo não deu tolerância de ponto aos funcionários públicos.

Já Macário Correia, que acompanhou a deslocação, justificou a não concessão de tolerância aos funcionários da Câmara de Faro com razões éticas relacionadas com a dívida de 30 milhões de euros do município.

"Seria eticamente incorreto que eu estivesse com os funcionário da câmara a descansarf e a apanhar sol, enquanto aqueles a quem devo dinheiro estão a trabalhar", sustentou.

Lusa

Pub