Pub

Em declarações à Lusa, Alexandra Gonçalves, vereadora com o pelouro da Acção Social, explicou que seis sem-abrigo recorreram aos préstimos do "Abrigo Quente", procurando principalmente agasalhos e refeições.

Os sem-abrigo optaram por não pernoitar no "Abrigo Quente", localizado no primeiro andar do antigo quartel dos Bombeiros Voluntários, por receio de perderem o lugar onde, por costume, dormem, explicou a vereadora, adiantando que a operação vai manter-se "enquanto a vaga de frio durar".

A operação "Abrigo Quente" resulta da cooperação entre a Câmara de Faro, a Força Operacional Conjunta através dos seus serviços de Protecção Civil, a Cruz Vermelha, a Associação Humanitária dos Bombeiros de Faro e a instituição de solidariedade social C.A.S.A.

Pub