Breves
Inicio | Igreja | Festa Pequena iniciou as festividades em honra da Mãe Soberana

Festa Pequena iniciou as festividades em honra da Mãe Soberana

Festa_pequena_mae_soberana_2015 (33).JPG
Foto © Samuel Mendonça

No Domingo de Páscoa realizou-se em Loulé a Festa Pequena em honra de Nossa Senhora da Piedade, popularmente conhecida como Mãe Soberana, e que constitui o ponto de partida daquela que é considerada a maior manifestação religiosa a sul do Tejo: a Festa Grande, que decorrerá no próximo dia 19 deste mês.

Acompanhados por uma multidão e pela Banda Filarmónica Artistas de Minerva, os homens do andor subiram à colina sobranceira à cidade onde se encontra implantado o santuário mariano de maior expressão no Algarve para vir buscar o andor com a Pietá algarvia. Aqueles que foram pais no decorrer do último ano, cumprindo a tradição, traziam nos braços os seus filhos para os apresentar a Nossa Senhora e pedir para eles a sua proteção.

Festa_pequena_mae_soberana_2015 (6).JPG
Foto © Samuel Mendonça

Após a recitação do rosário na nova igreja do santuário, o padre António de Freitas, pároco de Loulé, dirigiu-se à antiga ermida com os homens do andor que diante da imagem de Nossa Senhora com o seu filho morto nos braços se ajoelharam para a oração que o sacerdote realizou, pedindo para eles a intercessão da Virgem. Seguiu-se a prece feita por um dos homens do andor em nome de todos os outros, na qual pediu, sobretudo, a proteção maternal de Nossa Senhora e a sua intercessão por todos aqueles que vivem situações de sofrimento, incluindo as famílias que são vítimas do “terrorismo do desemprego”.

Festa_pequena_mae_soberana_2015 (19).JPG
Foto © Samuel Mendonça
Festa_pequena_mae_soberana_2015 (39).JPG
Foto © Samuel Mendonça

Teve início então a descida em passo acelerado com o andor até à igreja de São Francisco, no centro da cidade, participada também pelo padre José Joaquim Campôa, pároco de Quarteira, e pelo diácono Nelson Rodrigues. Ao esforço dos homens oito homens, vestidos de calças e opas brancas, que transportaram a imagem, aliou-se a força espiritual dos fiéis que, em vivas inflamadas a Nossa Senhora da Piedade e aos homens do andor, na cadência musicada dos homens da banda, «ajudaram» a trazer o pesado andor da padroeira até à igreja onde foi recebido com palmas por uma multidão que já o aguardava para a celebração da eucaristia da Ressurreição.

Ao longo destes 15 dias, a imagem permanecerá ali, estando o templo ininterruptamente aberta das 8 às 23h. A novena de oração, que decorre até ao dia 15 de abril, e que precede o tríduo de preparação para a Festa Grande, que ocorre nos três dias seguintes, este ano tem como pregador o padre Flávio Martins e como tema “Chamados à Santidade com Maria”.

O momento alto de encerramento das festividades acontece então no dia 19 de abril, com a chamada Festa Grande, cuja eucaristia será, como acontece anualmente, presidida pelas 16h pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, seguindo-se a procissão de regresso ao santuário mariano.

Festa_pequena_mae_soberana_2015 (53).JPG
Foto © Samuel Mendonça

As festividades de Nossa Senhora da Piedade constituem uma tradição com provável origem em 1553, data oficial da edificação da capela que lhe é dedicada.

Verifique também

Igreja do Algarve apresenta Programa Pastoral 2019/2020 em Assembleia Diocesana

O Programa Pastoral da Diocese do Algarve para o ano pastoral 2019/2020, sob o tema …