Pub

Inspirado na lenda de Guilherme Tell, o espetáculo funciona como um desafio à criatividade de 28 criadores, de todo o país, das áreas da música, artes plásticas, performance, dança, teatro, cinema e literatura, que foram convidados a dizer algo no escuro, em 10 minutos.

O Festival Tell: um artista = um euro, começou como um "ato de resistência", perante a “inexistência de uma política cultural” por parte da autarquia da cidade do Porto, e na primeira edição, em 2008, acabou por encher a sala do cinema Passos Manuel, durante quatro noites.

“A ideia é que este seja um festival itinerante e não fixo, que envolva artistas de todo o país, em locais onde a atividade cultural é menor, como é o caso do Algarve”, explicou à Lusa Sérgio Marques, um dos membros da organização do projeto.

Em cada espetáculo atuam sete artistas de diferentes áreas, e pretende-se cruzar criadores conhecidos, como Lara Li ou Valter Hugo Mãe, com jovens criadores contemporâneos e da região, dando a conhecer o trabalho das novas gerações.

A divulgação do festival TELL aposta também na interação e no efeito surpresa, “um convite ao abismo”, através de maçãs verdadeiras, embrulhadas num flyer informativo, que foram espalhadas em pontos estratégicos da cidade de Faro, para serem descobertas pelo público.

Mauro Amaral, um dos artistas farenses que integra esta edição do Tell, foi também o responsável por lançar o desafio a Sérgio Marques, para trazer o festival até ao Algarve.

“Participei na edição do Porto, e fiquei tão entusiasmado, enquanto público, que disse ao Sérgio que se a ideia era descentralizar, então tinham de vir até ao Algarve, onde, a par com o Alentejo, somos um deserto cultural”, disse à Lusa.

Zé Eduardo, Anabela Moutinho, Viviane e Carlos Norton, são outros dos artistas algarvios presentes nesta edição que tem o apoio da Direcção Geral das Artes, e decorre todas as quintas feiras de novembro (nos dias 03, 10, 17 e 24) no Teatro Municipal de Portimão, e no Teatro Lethes, em Faro, sextas-feiras (nos dias 04, 11, 18 e 25), às 21:30.

O preço dos bilhetes é de sete euros por noite (quatro euros a primeira parte e três euros a segunda parte), podendo ser adquiridos nas bilheteiras dos teatros.

Lusa
Pub