Pub

Com o início da cobrança de portagens na Via do Infante (A22) previsto para 8 de dezembro, algumas obras previstas para os 273 quilómetros de extensão da Estrada Nacional 125 ainda não começaram.

É o caso da Variante de Odiáxere (próximo da cidade de Lagos), projeto cuja consulta pública foi lançada segunda-feira, bem como da Variante de Olhão, com consulta pública prevista para ter início na primeira semana de dezembro.

Aquelas duas variantes, consideradas fundamentais para aligeirar a circulação em dois pontos urbanos habitualmente estrangulados da EN125, abrirão ao tráfego no segundo trimestre de 2013.

Também no primeiro trimestre de 2012 deverão começar as obras na Variante à Luz de Tavira, ainda sem data precisa para abertura ao público.

Já no terreno, estão em curso obras de reabilitação do troço da EN125 entre Vila do Bispo e Lagos e em construção a Variante a Lagos, a Variante a S. Lourenço / Troto, a Variante a Faro e a Variante à EN395 entre Guia e Albufeira, respetivamente nos concelhos de Vila do Bispo, Lagos, Loulé, Faro e Albufeira. A conclusão destes trabalhos ocorrerá entre os 2º e 4.º trimestre de 2012.

Estão também em curso trabalhos de reabilitação no Lanço EN125 – Vila do Bispo / Lagos, bem como a construção de Canal Técnico Rodoviário em todos os lanços da subconcessão.

Em nota enviada à Lusa, a Estradas de Portugal recorda que as intervenções em curso visam a redução dos níveis de sinistralidade, melhor desempenho da via quanto à capacidade e condições de fluidez da circulação e melhoria da qualidade de vida através de intervenções a nível urbano e ambiental.

A empresa garante que as diversas intervenções a concretizar no âmbito do contrato da Subconcessão Algarve Litoral, “quer respeitem a lanços a construir de raiz ou a requalificar, estarão concluídos, no segundo semestre de 2013”, englobando um montante global de investimento de 180 milhões de euros, a suportar pela subconcessionária.

O concurso foi lançado a 16 de Março de 2008 e o contrato assinado em 21 de Abril de 2009.

Desde a data da assinatura do contrato, a subconcessionária RAL-Rotas do Algarve Litoral constituída pela Edifer, Iridium (grupo espanhol ACS), Tecnovia e Conduril, começou a executar a operação e manutenção da EN 125 e de outras vias, para além da execução dos estudos necessários à requalificação da EN 125.

A requalificação da EN125 foi anunciada no Algarve a 16 de março de 2008 pelo então primeiro-ministro José Sócrates, que então apontou o final de 2010 como o prazo para conclusão das obras.

Com a concretização deste projeto, o Governo previa reduzir o número de mortos na EN-125 em cerca de 35 por cento, através "da eliminação total dos pontos negros existentes (zona da Guia, Patacão, Faro, Olhão, Pata e Altura) e redução da sinistralidade grave.

Lusa

Pub