Pub

Segundo José Pires, a obra “constituirá uma mais-valia para o concelho e para os autocaravanistas, que procuram também espaços mais calmos, fora da agitação dos grandes centros urbanos”.

Para Francisco Amaral, “a freguesia do Pereiro tem sofrido, nos últimos anos, um grande desenvolvimento, com a construção da ETAR, a ligação à Águas do Algarve, a construção de habitação social, novos arruamentos, a abertura do Museu do Ferreiro e o trabalho desenvolvido por associações como a Cumeadas e a Estrela Pereirense”.

O presidente da CCDR sublinhou ainda que, embora o concelho de Alcoutim tenha perdido 20% da população, a construção de habitação aumentou também 20%. Cerca de 40% das habitações em Alcoutim foram referenciadas como 2.ª habitação, o que transmite a ideia de que está muita gente a viver em Alcoutim, embora ainda recenseada noutro concelho, nomeadamente na área metropolitana de Lisboa.

O ‘FOLHA DO DOMINGO’ relembra que a obra custou 174,900,00 euros, tendo sido cofinanciada pelo PO Algarve.

Pub