Pub

O edifício, implantado numa área total de construção de 2415 m2, será constituído por 3 pisos e 1 pátio (com a função de praça/convívio), e terá 19 quartos simples e 19 quartos duplos.

Para Jorge Renda, presidente da Associação Social e Cultural da Tôr, a aldeia da Tôr “apresenta características de localização excelentes para acolher um lar de idosos de grande dimensão” pela “proximidade com a serra e as boas acessibilidades aos centros urbanos de Loulé e Faro”. Termina dizendo que “o investimento (…) é de inquestionável importância para o desenvolvimento da região, para a criação de emprego, para a fixação populacional e, em especial, para as famílias e seus idosos.”

A diretora do Centro Distrital de Segurança Social de Faro, Ofélia Ramos, sublinhou que se trata de uma obra “de grande importância social (…) que tem como objetivo cuidar e oferecer melhores condições de vida a pessoas de um grupo etário muito vulnerável e necessitadas deste género de respostas sociais”.

No total, o equipamento dará resposta a 97 utentes (dos quais 57 serão acolhidos no lar e 40 beneficiarão do serviço de apoio domiciliário), criando 25 novos postos de trabalho.

O ‘FOLHA DO DOMINGO’ recorda que o investimento total ascenderá a 1,8 milhões de euros, os quais serão suportados em 60% pela Segurança Social, em 30% pela Câmara Municipal de Loulé e em 10% pela Associação Social e Cultural da Tôr. Por seu turno, a Junta de Freguesia da Tôr encarregar-se-á da construção de arruamentos e arranjos paisagísticos envolventes.

Seruca Emídio falou, ainda, da rede de infraestruturas de apoio social criada em Loulé: “Temos a melhor rede de infraestruturas de apoio social (…) invejável a todos os níveis”, “o que se deve ao envolvimento das populações, à sensibilidade da Câmara Municipal e à riqueza de todos nós.”

Ofélia Ramos aproveitou a ocasião para anunciar a futura construção de uma creche na freguesia, com capacidade para 33 crianças.

Pub