Pub

Em comunicado, a diretoria do Sul da PJ refere que a mulher, de 54 anos, é suspeita dos crimes de falsificação de documento, burla qualificada e furto.

Usando a sua qualidade de funcionária na junta, a arguida solicitava aos organismos competentes a atribuição de subsídios a idosos residentes naquela freguesia e ficava com o dinheiro.

As autoridades judiciárias decretaram como medidas de coação a suspensão do exercício de funções e a proibição de contacto com os idosos lesados.

Questionada pela Lusa, fonte da PJ escusou-se a adiantar o número de idosos burlados e a quantia envolvida.

Lusa

Pub