Pub

A direção da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve divulgou ontem um comunicado para exigir a suspensão imediata da campanha, por um dos cartazes mostrar imagens de uma praia algarvia completamente deserta num dia de agosto de 2012 para justificar que é em Guimarães que "tudo acontece”.

Em declarações à Lusa, a diretora de comunicação da Fundação – que lançou a iniciativa a 17 de agosto a partir de uma proposta da agência LPM e com o conhecimento prévio do Turismo de Portugal – adiantou que os “outdoors” serão retirados entre hoje e terça-feira, mas porque o prazo de exposição definido inicialmente era de apenas duas semanas.

Bernardina Ribeiro disse aceitar que as autoridades algarvias tenham um “entendimento diferente” dos cartazes, mas afirmou não conseguir entender a interpretação “literal” dada no sul do país.

“O conjunto de imagens mostra desde um estádio de futebol vazio numa hipotética final da Taça, a uma praia também vazia e um placard em que todos os voos se destinam a Guimarães, com recurso a uma figura que é a ironia, o humor, o ‘non sense’, a inverosimilhança, habituais na publicidade”, justificou.

“O nosso objetivo nunca foi, de todo, menosprezar qualquer uma das áreas consolidadas do turismo português como o Algarve, completamente consolidada e da qual nós precisamos”, acrescentou.

Bernardina Ribeiro sublinhou que a Fundação não quer ficar de costas voltadas face a nenhuma instituição, pelo que está disponível para falar com os hoteleiros algarvios ou de outra região sempre que necessário.

A responsável referiu que o projeto de transformar Guimarães na capital europeia da cultura é nacional e serve precisamente para projetar o país.

Lusa

Pub