Pub

O Fundo Social da Diocese do Algarve que, desde fevereiro de 2009, tem estado a apoiar as vítimas da crise, “dando prioridade às situações de carência mais grave”, concretamente junto da “população desempregada”, já distribuiu 22.933 euros este ano.

Carlos Oliveira, presidente da Caritas Diocesana do Algarve e membro da equipa de gestão do Fundo Diocesano Social, explicou ao Folha do Domingo que a última tranche, no valor de 12.465 euros, provenientes da renúncia quaresmal deste ano dos católicos algarvios e de donativos particulares, beneficiou 22 pedidos e serviu para ajudar a pagar rendas de casa e medicamentos a famílias cujos cônjuges estão desempregados.

Recorde-se que o Fundo Social da Igreja algarvia, que agora está novamente descapitalizado, distribuiu desde 2011 quase 114 mil euros para apoio de 216 casos. Cerca de 36 mil euros foram distribuídos em 2012, sendo que 19.158 euros deste valor tinham sido distribuídos até maio do ano passado, e cerca de 54 mil euros foram distribuídos em 2011.

O apoio, que não contempla reincidentes, é decidido por uma equipa de gestão que analisa caso a caso, segundo o relatório elaborado por técnicos credenciados. Uma das condições impostas para receber a ajuda, subjacente ao próprio regulamento do Fundo Diocesano Social, é que se verifique a situação de desemprego do beneficiário e, no caso dos casais, que a mesma se verifique pelo menos em relação a um dos seus membros.

Os donativos para o Fundo Diocesano Social podem ser feitos através do NIB 001800000617213600178.

Samuel Mendonça

Pub