Pub

Em entrevista à Lusa, o comissário Fábio Castro, da Direção Nacional da PSP, explicou que “em meados de junho”, o Algarve vai receber “duas equipas do Corpo de Intervenção da PSP para reforço do Destacamento da Unidade Especial de polícia”, todavia não adianta o número de efetivos por uma questão “de segurança”.

Os agentes afetos ao policiamento de proximidade que existem no Algarve, nomeadamente do projeto Escola Segura, e as equipas de investigção criminal vão ser direcionadas também para o reforço da segurança no Algarve para a operação “Verão Seguro”, adiantou Fábio Castro, explicando que com as férias escolares e judiciais à porta está em curso uma “reorganização do efetivo”.

A GNR no Algarve viu reforçado o número de efetivos dia 01 de junho com um pelotão de Manutenção da Ordem Pública (24 militares), mas a partir de 01 de julho chega um segundo pelotão com o mesmo cariz e cerca de 20 militares da Unidade de Segurança e Honras de Estado, disse à Lusa o tenente coronel Luís Sequeira.

O efetivo do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no Algarve não vai ser, todavia, reforçado.

“O SEF não vai ter reforços. O que temos no inverno, temos no verão. É a mesma equipa no verão, sendo que uma parte dos agentes vai para o Aeroporto de Faro”, explicou Ester Guedes, responsavél pelo SEF na região algarvia.

Em Faro, ao nível da fiscalização e investigação do SEF existem 20 agentes, enquanto em Portimão estão oito e em Tavira há três pessoas. No total existem no SEF Algarve cerca de 90 pessoas a trabalhar, adiantou Ester Guedes.

A 31 de maio, o Ministério da Administração Interna (MAI) deu orientações à GNR e à PSP para reforçarem a atividade operacional no Algarve para aumentar o nível de segurança e intensificar a prevenção da criminalidade na região.

Atualmente prestam serviço 2.090 elementos (1.224 da GNR e 866 da PSP) no distrito de Faro. Em Albufeira estão ao serviço 172 militares da GNR.

Em 2010 foi criado o Projeto “Algarve Seguro”, que visa incrementar a capacidade operacional das forças de segurança através de uma solução integrada de novos instrumentos tecnológicos e que foi desenvolvido o Sistema Móvel de Identificação Local de Estrangeiros (SMILE), que visa reforçar a segurança no controlo de fronteiras e suportar as ações de fiscalização.

Lusa

Pub