Pub

O PS/Algarve reuniu-se hoje com o Secretário de Estado da Saúde, Óscar Gaspar, a quem solicitou esclarecimentos sobre o concurso para a construção do Hospital Central, tendo-lhe sido garantido que o calendário previsto para a adjudicação da obra será cumprido.

"O Governo acredita que a obra será adjudicada durante o terceiro trimestre deste ano", disse Miguel Freitas à Lusa, sublinhando que há "vários caminhos para resolver a situação" e que em breve se iniciará o processo negocial.

Em causa está o valor das propostas apresentadas em concurso público para a construção da estrutura, que violam em mais de 100 milhões de euros o limite de 260 milhões que foi determinado pelo Estado.

Os valores contidos nas duas propostas apresentadas (Teixeira Duarte, com 372 milhões, e Ferrovial, com 410 milhões) terão que baixar ou terá que ser lançado novo concurso, já que o Governo diz que não adjudicará a obra acima do comparador público.

Segundo o deputado algarvio, "não existe qualquer motivo de alerta", já que o processo decorre normalmente no quadro previsto para a concretização do projecto, disse, em comunicado divulgado hoje.

Miguel Freitas disse ainda já ter avançado a análise do comparador público e das propostas apresentadas em concurso público, sublinhando que a concretização daquela obra "deve ser encarada com todo o rigor".

O concurso público referente ao Hospital Central do Algarve arrancou a 5 de Maio de 2008, tendo a avaliação das propostas sido iniciada a 7 de Janeiro deste ano.

O futuro Hospital Central do Algarve servirá uma população de cerca de 800 mil habitantes (o dobro da população algarvia), contando com a afluência sazonal de turistas.

A nova unidade deverá ter 524 camas para internamento e um bloco operatório com 10 salas, sendo que a área de consulta externa terá 66 gabinetes, onde se poderão realizar anualmente cerca de 220 mil consultas.

Pub