Pub

Em entrevista à Lusa, Carlos Tuta explicou que há mais de quatro meses que o grupo Alicoop aguardava pela concretização dos financiamentos negociados no plano de viabilização da Aliccop para poder “pagar aos fornecedores” e “pagar rendas de lojas”, mas que conseguiram “superar” esta “angústia” e vão conseguir reabrir.

Já foram transferidas verbas. Já está tudo disponível, já foi assinada a escritura da transferência na quarta-feira e ontem [quinta-feira] houve logo a transferência efetiva de 333 mil euros do fundo de garantia do BPE Investimento”.

“Com esta verba, que devíamos ter recebido em setembro de 2010, já deve dar para pagar, fundamentalmente, alguns fornecedores, pagar rendas de casas e assegurar isto até abril, para depois se avançar com o plano de insolvência”, declarou o administrador da empresa de salvação da Alicoop, estimando que além das 15 lojas abertas atualmente vão reabrir até final de março “mais 15 lojas”.

Carlos Tuta adiantou ainda que hoje, às 19:00, em Portimão, a Comissão de Trabalhadores e o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) reunem para fazer o ponto da situação do Grupo Alicoop.

O grupo Alicoop encontra-se em processo de insolvência desde agosto de 2009, com uma dívida de cerca de 80 milhões de euros, tendo encerrado a sua cadeia de supermercados no início de maio, para não agravar o passivo. Em agosto, depois do plano de viabilização aprovado pelo Tribunal de Silves em julho, reabriram algumas das lojas.

Lusa

Pub