Pub

O Governo aprovou recentemente uma resolução que fixa a cobrança de portagens nas autoestradas Sem Custos para o Utilizador (SCUT) no Interior Norte, Beira Interior, Litoral e Alta e Algarve, conhecida como a Via do Infante, até 15 de abril de 2011.

“Hoje, às 18:00, no edifício-sede da Assembleia Municipal de Loulé, vai dar-se o primeiro passo para a formação de uma associação alargada à sociedade civil que lute contra as portagens na Via do Infante”, disse, em entrevista à Lusa, João Vasconcelos, coordenador do Bloco de Esquerda no Algarve e que está a organizar a iniciativa.

Trata-se de tentar constituir uma comissão independente que seja heterogénea e o mais alargada possível a toda a sociedade, desde que o “objetivo seja lutar contra as portagens no Algarve, porque é uma decisão injusta”, explicou João Vasconcelos, elemento do grupo promotor – Pró-Comissão de Utentes da Via do Infante (A22).

Da assembleia que vai decorrer hoje em Loulé vão sair “propostas para a luta imediata contra a introdução das referidas portagens”, acrescentou João Vasconcelos.

Mais de 12 mil pessoas registaram-se, nos últimos dias, na rede social Face Book, num grupo denominado “Não queremos portagens na A22 Via do Infante”.

O grupo “Não queremos portagens na A22 Via do Infante” tinha hoje 12 232 membros inscritos, nomeadamente o presidente da Câmara de Tavira, Jorge Botelho (PS), presidente da Associação Académica da Universidade do Algarve, Guilherme Portada, o vice-presidente da Câmara de Portimão Luís Carito (PS), a Juventude Socialista de Portimão, o Clube Desportivo Os Olhanenses, entre outros.

Lusa

Pub