Pub

Este protocolo de entendimento com a autarquia é um documento que estabelece as metodologias, o calendário e os parâmetros urbanísticos, tendo em vista o desenvolvimento e a implementação de vários projetos das empresas do Grupo Sonae em Lagos. O acordo permitirá à Sonae construir mais de uma centena de unidades de alojamento turístico, cujo investimento rondará os 200 milhões de euros.

O presidente da Câmara Municipal de Lagos, Júlio Barroso, mostrou-se convicto de que “a assinatura deste protocolo gera um grande capital de expetativas e esperança no futuro do concelho”, considerando que “contribuirá para a regeneração da nossa economia e para a criação de mais posto de trabalho”.

Segundo Júlio Barroso, um dos projetos de investimento do Grupo Sonae prevê acabar “com um dos mamarrachos existentes no município há quase 40 anos”, as Torres da Crotália, que estão por terminar desde abril de 1974, e que já vinham a ser negociadas com o grupo há vários anos, chegando agora ambas as partes a um consenso, com a perspetiva de construção de um empreendimento com alojamentos turísticos.

O protocolo prevê um prazo de cinco anos para a execução desta obra, ainda que as partes envolvidas tenham admitido nesta sessão que podem vir a ser feitos reajustamentos neste prazo.

Além da recuperação das torres, o entendimento com o Grupo Sonae prevê também a recuperação, construção e ampliação de equipamentos como piscinas e campos de ténis.

O presidente realçou ainda o facto de o protocolo ter sido objeto de apreciação de todas as forças políticas com representação na Assembleia Municipal, e a matéria sujeita a votação não ter tido nenhum voto contra “o que significa a expetativa, a consideração pelo acordo e o interesse do mesmo para o município”.

Liliana Lourencinho com Lusa

Imagens do projeto:

Pub