Pub

“Nós, não só o sector do turismo, vamos ter de trabalhar mais, porque as coisas vão ser mais difíceis” com a crise mundial, alertou o presidente do grupo Vila Galé, durante o 35º Congresso Nacional da Associação Portuguesa de Agências de Viagens, que começou ontem em Vilamoura e termina sábado, dia 28.

Para conquistar mais turistas, Rebelo de Almeida recordou que a área da saúde alavanca muito o turismo e que os dois sectores podem funcionar muito bem, nomeadamente no Algarve, onde há vários hospitais particulares de luxo a apostar nesse segmento.

O presidente do grupo Vila Galé reiterou que a saúde pode ser uma nova “forma de atrair turistas a Portugal” e desafiou as agências de viagens a tentar vender o produto ‘Turismo e saúde’ no futuro.

“Temos de fazer uma viragem no modelo de promoção: têm que haver maior envolvimento em termos de geração de ideias, mas tem também de haver uma participação de financiamento”, defendeu.

Ainda durante a sessão sobre ‘Turismo: Vencer em Concorrência’, o presidente do grupo Vila Galé pediu ao Estado para investir na revitalização das centros das cidades.

“O Estado tem que investir na revitalização dos centros das cidades para os residentes e os turistas usufruirem, mas não apenas uma cosmética, tem que se lhes dar vida”, acrescentou.

Segundo o empresário, no Vila Galé continua-se a trabalhar “como se não houvesse crise”.

“Temos até estado a trabalhar mais. Temos de puxar por novas ideias, porque ainda nos faltam clientes”, referiu.

O 35º Congresso Nacional da APAVT termina sábado com a presença do ministro da Economia, Vieira da Silva, na sessão de encerramento, marcada para as 19:00.

Pub