Pub

As comemorações do 150º aniversário de Manuel Teixeira Gomes vão ser assinaladas durante o "Colóquio Carnaval Literário", no Teatro Municipal de Portimão, cidade onde nasceu o estadista, em 1860, e que decorrerá durante dois dias, até sábado.

Um dos especialistas nacionais da vida e obra de Manuel Teixeira Gomes, que foi o sétimo presidente da Primeira República Portuguesa, é o escritor Hélder Macedo que, em declarações à Lusa, define o autor algarvio como um homem com "três vidas". Duas vidas de escritor e uma vida de político, explicou.

Na comunicação que vai fazer em Portimão, Hélder Macedo adiantou que vai abordar a faceta de "sedutor" de Teixeira Gomes, mas vai também focar a sua incursão pela política como embaixador de Portugal em Londres, após a implantação da República (1910), e como presidente da República – eleito em 1923 – durante dois anos.

Com a aproximação da República, aproximou-se da política – "era um republicano" – conta Hélder Macedo, recordando que Teixeira Gomes teve um desempenho "tão bom quanto possível na Presidência da República", tendo em conta o contexto de golpes de Estado militares da altura.

Publicou três ou quatro livros antes de ser presidente da República. Depois "enojou-se da política" e partiu para a Argélia "com apenas uma mala de roupa", tendo vivido os últimos 16 anos de vida num hotel em Bougie, onde iniciou a sua "segunda carreira de escritor". Morreu em 1941, naquele país do Magreb.

Escreveu livros de memórias, cartas e várias novelas eróticas, recordou Hélder Macedo, classificando o intelectual algarvio como um homem "civilizadíssimo", "elegante", "sedutor", "libertino", "sempre com a barba muito bem feita" e de "altura mediana".

O Colóquio Carnaval Literário é aberto à participação do público e conta com a presença de figuras nacionais e internacionais que se têm dedicado ao estudo das diferentes vertentes artísticas de Manuel Teixeira Gomes.

O poeta e romancista Nuno Júdice, o escritor Helder Macedo, a pintora e escritora Margarida Tengarrinha, o escritor e ensaísta José Augusto França ou os professores Eugénio Lisboa e Khalid Zekri, da Universidade de Meknès, em Marrocos, são alguns dos convidados.

Lusa

Pub