Pub

Segundo o capitão Henriques, da GNR, o jovem de 19 anos, “já teve alta” do Hospital de Faro, onde foi assistido a um “ferimento antigo”, resultante de uma intervenção cirúrgica realizada há cerca de 15 dias.

O homem residente em Quarteira, encontra-se detido no posto da GNR daquela cidade, de onde seguirá segunda-feira, para o Tribunal de Loulé para ser ouvido pelo juiz de instrução criminal.

O jovem, armado com uma caçadeira de canos serrados, foi detido pelo Pelotão de Intervenção Rápida da GNR, ao fim de cerca de quatro horas de cerco policial ao edifício onde se tinha barricado por volta as 07:00, depois de ter ferido ligeiramente na cabeça um militar da GNR, que integrava uma patrulha alertada para a presença do homem armado num bar daquela cidade.

De acordo com o capitão Henriques, da GNR, o jovem, com antecedentes criminais, acabou por ser detido ao fim da manhã, num corredor do sétimo andar do prédio, “após oferecer alguma resistência”.

“Contudo, a preparação dos militares evitou que houvesse troca de tiros”, destacou aquele responsável.

“Uma equipa de negociadores esteve em permanente contacto com o jovem, conseguiu acalmá-lo, mas este nunca demonstrou intenção de se entregar”, observou o militar.

“Como não demonstrou essa intenção e apresentava um quadro psicológico muito alterado, chegando a efetuar um disparo na direção dos militares, houve a necessidade de uma intervenção rápida que, felizmente, decorreu sem troca de tiros ou ferimentos, num e noutro lado”, sublinhou.

“Houve necessidade de utilizar a força, mas apenas a adequada que permitisse imobilizar o homem”, concluiu.

Aquele militar recordou também que a “cooperação dos moradores foi essencial, ao seguirem as instruções das autoridades”, a fim de evitarem que o homem conseguisse entrar num dos apartamentos, e efetuasse reféns.

Entretanto, fonte do Hospital de Faro disse Lusa que o militar da GNR sofreu um ferimento ligeiro na cabeça, provocado por arma de fogo, e já recebeu alta hospitalar.

A mesma fonte, explicou que o homem autor dos disparos e detido pela GNR, foi assistido em 19 de maio naquela unidade de saúde, onde foi sujeito a uma intervenção cirúrgica por ostentar um “ferimento provocado por arma de fogo, tendo tido alta a 28 de maio”.

Lusa

Pub