Pub

Uma outra fonte havia dito à agência Lusa que um homem de nacionalidade escocesa, de 29 anos, recebeu hoje tratamento numa unidade hospitalar algarvia após lhe terem cortado parcialmente uma orelha e ferido um dedo, tendo sido acompanhado pela GNR na deslocação ao estabelecimento de saúde.

A vítima conseguiu libertar-se hoje de um cativeiro que durou quase duas semanas, revelou à Lusa fonte policial, tendo a Polícia Judiciária (PJ) detido quatro homens de nacionalidade britânica suspeitos da prática daquele crime.

Segundo a mesma fonte, a vítima terá sido raptada logo que chegou a Portugal no dia 05 de outubro, sendo que os raptores, com idades entre os 20 e os 50 anos e todos com antecedentes criminais, eram seus conhecidos e residiam no Algarve.

O caso, relacionado com tráfico de droga, levou a que a vítima fosse raptada logo após a chegada a Portugal, tendo sido "amarrada e bastante maltratada" pelos sequestradores, os quais foram detidos na sexta feira passada, no seguimento de uma investigação da Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) da PJ, em colaboração com a sua congénere inglesa, adiantou a fonte à agência Lusa.

A vítima, que hoje conseguiu sair do cativeiro situado próximo de Boliqueime, no distrito de Faro, recebeu assistência hospitalar, pois "está muito maltratada", embora "fora de perigo" de vida, acrescentou.

A investigação deste caso, que a SIC noticiou hoje, prossegue a cargo da PJ.

Lusa

Pub