Pub

Segundo o organismo, numa nota divulgada à imprensa, apesar da quebra em termos globais, o mercado português continuou a ser o mais importante, representando cerca de 30% dos hóspedes da região.

Portugal, Reino Unido e Alemanha continuam a ser os maiores mercadores emissores de turistas para o Algarve.

No primeiro trimestre deste ano, a taxa de ocupação média de camas na hotelaria foi de 24,8%, tendo subido nos meses de fevereiro e de março, face aos meses homólogos de 2012, com um aumento nos aldeamentos turísticos, apartamentos turísticos e hotéis/apartamento, em detrimento dos hotéis de uma e duas estrelas.

De acordo com o Turismo do Algarve que aponta dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), o Algarve foi, depois da Madeira, a região que mais subiu em valor os seus proveitos (8%), obtendo um total de 54,8 milhões de euros, o que representa 20% dos proveitos totais do país.

A estada média na hotelaria nos primeiros três meses do ano foi de 4,5 noites, sendo os holandeses os que mais pernoitaram no Algarve, com uma média de oito noites.

Apesar do aumento de hóspedes, o Algarve registou um decréscimo de 20.000 (8%) voltas nos campos de golfe, do que em relação ao mesmo período de 2012, onde foram contabilizadas 239.014 voltas.

De acordo com os dados do Turismo do Algarve, o movimento de passageiros no aeroporto de Faro registou um aumento de 5.789 (1,4%) nos três primeiros meses do ano face ao mesmo período do ano passado, tendo desembarcado naquele aeroporto um total de 286.481 passageiros.

Segundo a nota, a análise dos passageiros desembarcados revelou que houve uma alteração na distribuição das quotas obtidas por cada país, já que houve um aumento de passageiros provenientes da Alemanha (+30%), Holanda (+8,7%), Irlanda e Reino Unido, ambos com mais 2,2%.

As companhias ‘low-cost’ transportaram mais de 70% dos passageiros, ocupando a TAP o sexto lugar, quando no final de 2012 a transportadora aérea portuguesa ocupava a oitava posição.

Lusa

Pub