Pub

Além dos 600 mil euros de poupança prevista para 2011, o Hospital de Faro prevê que em 2012 a redução de despesa com esta medida seja de 2,5 milhões de euros, uma vez que os doentes deixam de ser enviados, como até aqui, para o Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa (que não integra o Serviço Nacional de Saúde), passando a ser tratados em Santa Marta e Santa Maria, ambos em Lisboa, e Santa Cruz, em Carnaxide (concelho de Oeiras).

"Esta medida faz parte dos compromissos assumidos pelos Hospitais do Algarve e pela ARS Algarve, IP, no plano de racionalização organizativa dos hospitais do Algarve e dá cumprimento às orientações do Ministro da Saúde com o objetivo de garantir os compromissos assumidos no memorando de entendimento estabelecido com a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional", explicou a ARS Algarve num comunicado.

O organismo tutelado pelo Ministério da Saúde precisou que a recomendação para deixar de enviar os doentes para o Hospital da Cruz Vermelha, também em Lisboa, data de 17 de agosto de 2011 e “o serviço de cardiologia do Hospital de Faro passou a referenciar a partir do dia 05 de setembro de 2011 todos os doentes do Algarve que carecem de cuidados no âmbito da especialidade de cirurgia cardiotorácica para os hospitais de Santa Marta e Santa Maria e o Hospital de Santa Cruz”.

A ARS Algarve referiu que a medida foi tomada pelo conselho de administração do Hospital de Faro "com a colaboração e ação conjunta dos conselhos diretivos das ARS do Algarve e de Lisboa e Vale do Tejo e do coordenador nacional para as doenças cardiovasculares".

Lusa
Pub