Pub

Os serviços do Bloco Operatório, Internamento, Imagiologia e Urgência deveriam ter entrado em funcionamento até outubro de 2010, mas “dificuldades na obtenção das necessárias licenças para o efeito, atrasos na entrega do equipamento contratado e atrasos na finalização de parte das obras do edifício” impediram a abertura daquelas áreas hospitalares, explica o grupo Trofa Saúde.

“Não sendo possível proceder à abertura dos serviços dentro do prazo programado, a actividade do Hospital Internacional do Algarve, designadamente os serviços já em funcionamento, estava, naturalmente, condicionada e altamente limitada”, acrescenta a nota de imprensa do grupo enviada à agência Lusa.

“Na impossibilidade de prestar os serviços médicos previstos, o Conselho de Administração do grupo Trofa Saúde decidiu encerrar todos os serviços desta unidade hospitalar”, lê-se na mesma nota.

O grupo Trofa saúde afirma que está empenhado em resolver os problemas que levaram ao encerramento da unidade hospitalar e estima que “num período curto de tempo” possam estar em condições de inaugurar em pleno Hospital Internacional do Algarve.

O Hospital Internacional do Algarve abriu parcialmente em agosto de 2010, funcionando com os serviços de Consultas Externas e Atendimento Médico Permanente de Clínica Geral 24 horas.

O autarca da Câmara de Albufeira, Desidério Silva, disse à Lusa lamentar o encerramento da unidade de saúde, realçando que "existiam grandes expetativas" no seu funcionamento para o concelho, por ser uma "exigência antiga" da comunidade albufeirense.

"Desconheço os pressupostos que levaram à situação, mas lamento pela importância da unidade e pelas dezenas de trabalhadores que criaram grandes expetativas", observou Desidério Silva.

Para autarca, o encerramento do Hospital Internacional do Algarve, dois meses após a sua abertura, "é uma perda para a população residente e os milhares de turistas que todos os anos nos visitam, um espaço que, sem dúvida, iria contribuir para um aumento da qualidade de vida no concelho".

Situada em Montechoro, a unidade de saúde tem cinco pisos, está implantada numa área de mais de 5400 metros quadrados, e o investimento foi mais de 22 milhões de euros, disse Filipe Pereira, das relações públicas do Grupo Trofa Saúde.

Lusa

Pub