Pub
© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa

A taxa de ocupação média por quarto nas unidades hoteleiras do Algarve caiu 4% em janeiro, causando uma descida no volume de negócios de 1,6%, relativamente ao mesmo mês de 2014, revelou hoje a AHETA.

Nos dados recolhidos pelo seu gabinete de estudos relativos ao janeiro de 2015, a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) quantificou a ocupação média por quarto em 27%, quando no período homólogo de 2014 tinha sido de 31%.

As quebras verificadas nos turistas provenientes dos mercados britânico (-25,3%) e alemão (-17,4%) foram as “principais responsáveis pela descida verificada”, considerou a AHETA em comunicado.

A principal associação hoteleira do Algarve frisou que as maiores descidas registaram-se em Vilamoura/Quarteira/Quinta do Lago (-17,1%) e em Albufeira (-6,1%), zonas que contrastaram com a de Tavira, onde a ocupação média por quarto subiu (+16,3%).

A zona de Monte Gordo/Vila Real de Santo António “foi a que registou a taxa de ocupação quarto mais elevada”, atingindo os 62,0%, enquanto a zona de Lagos/ Sagres foi a mais baixa, situando-se nos 16,0%.

“Por categorias, os hotéis e aparthotéis de três estrelas (-10,1%) e os de cinco estrelas (-7,4%) foram os que apresentaram as maiores descidas nas ocupações”, quantificou a AHETA, acrescentando que estas unidades registaram também a ocupação mais alta e mais baixa, com os de três estrelas a situarem-se nos 44,9% e os de cinco estrelas nos 21,7%.

A AHETA referiu que “o volume de negócios diminuiu 1,6% relativamente ao mês homólogo de 2014” em consequência destes valores, mas frisou que os dados “referem-se apenas aos estabelecimentos em funcionamento, não levando em consideração as unidades encerradas neste período”.

Pub