Pub

A Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) apresentou hoje, num comunicado, os dados relativos ao mês passado e precisou que, “por nacionalidades, as principais subidas registaram-se no mercado britânico (mais 2,3%) e no irlandês (mais 0,4%), enquanto “as descidas mais importantes se verificaram nos mercados holandês (menos 0,9%) e alemão (menos 0,5%).

Quanto às áreas geográficas, a que maior quebra registou foi a da Praia da Rocha/Portimão, com menos 15,1%, e as subidas mais significativas verificaram-se nas zonas do Carvoeiro/Armação de Pêra e Albufeira, com mais 23,2% e 11,1%, respetivamente.

“A zona de Vilamoura/Quarteira/Quinta do Lago registou a taxa de ocupação média mais elevada (63,7%), enquanto Portimão/Praia da Rocha registou a mais baixa, com 43,2%”, sublinhou a AHETA.

Os aldeamentos e apartamentos de cinco e quatro estrelas sofreram em outubro uma quebra de 4% na ocupação, tendência contrária à verificada nos hotéis e aparthotéis de duas estrelas, onde houve uma subida de 7,8%, e nos de quatro estrelas, que atingiram mais 7,6% do que em igual período do ano passado, acrescentou a associação hoteleira.

“Os hotéis e aparthotéis de quatro estrelas foram os que apresentaram a ocupação mais elevada (58,7%). Os aldeamentos e apartamentos de três estrelas registaram as ocupações mais baixas (48,6%)”, informou ainda a AHETA.

Em setembro, a ocupação média na hotelaria algarvia tinha sofrido uma subida de 3% relativamente ao mesmo mês de 2011, situando-se nos 76%, enquanto em agosto tinha sido praticamente idêntica ao período homólogo do ano passado, situando-se nos 90,7%.

Lusa
Pub