Inicio | Economia | Iates de luxo querem atrair jovens para costa algarvia e faturar 1,1 milhões de euros

Iates de luxo querem atrair jovens para costa algarvia e faturar 1,1 milhões de euros

Uma frota de 25 iates vai navegar este verão junto à costa algarvia para oferecer aos jovens “um novo conceito de férias e experiências”, anunciaram ontem os promotores, que estimam faturar 1,1 milhões de euros no primeiro ano.

Durante uma semana, barcos com capacidade para entre seis e 10 pessoas vão partir de Vilamoura e fazer escalas em Faro, Castro Marim, Tavira e Albufeira, regressando ao porto de partida.

O “Portugal Sail Week – Algarve 2018” propõe eventos privados, provas gastronómicas e diversões noturnas ao longo da viagem, num pacote destinado a jovens adultos, com idades médias de 27 anos, com poder de compra e em busca de novas experiências.

A estimativa de faturação para o primeiro ano é de 1,1 milhões de euros, com base numa lotação de 750 clientes ao longo das cinco semanas.
“A ideia é ter um grupo de amigos num barco no Algarve durante sete dias e termos uma comunidade de pessoas que não se conhecem para experienciar o Algarve e conhecer Portugal”, resumiu à agência Lusa um dos três fundadores, Martim Rodrigues.

A apresentação vai decorrer hoje num barco no rio Tamisa, em Londres, com mais de uma centena de representantes de agências de viagens e “influenciadores” das redes sociais.

“O mercado para o qual estamos a comunicar, e que acreditamos vamos ter, é 90% internacional. Londres tem poder de compra e daqui as notícias chegam a várias nacionalidades”, justificou.

O projeto, promovido pela agência de viagens Prizmakat, que até agora se centrava em serviços de transporte e de acompanhamento a turistas, mobilizou um investimento de cerca de 100 mil euros.

Martim Rodrigues, que antes trabalhou na promoção de eventos, acredita que o país está mais bem preparado para este tipo de oferta sofisticada, em parte porque a perceção de Portugal no exterior tem mudado.

“Este produto faz mais sentido porque existem parceiros e empresas com capacidade para dar resposta a alguns serviços que antes eram mais difíceis de encontrar para satisfazer clientes mais exigentes”, acredita.

Verifique também

Presidente da Cáritas Portuguesa defendeu que “não falta dinheiro para erradicação da pobreza” (c/vídeo🎦)

O presidente da Cáritas Portuguesa veio este fim de semana ao Algarve defender que “não …