Pub

Active seniors, group of old friends playing cards at parkDezenas de idosos de Faro, que jogam cartas em bancos do Jardim Manuel Bivar, pediram hoje ao novo presidente da Câmara de Faro mesas e casas de banho públicas, porque dizem ter vergonha de fazer as necessidades na rua.

José Maria dos Santos, 65 anos, pediu hoje ao novo presidente da Câmara de Faro, Rogério Bacalhau, um espaço digno com “cadeiras e mesas” para jogarem às cartas e que proteja os reformados do frio e do sol no Jardim Manuel Bivar, espaço central da baixa da capital algarvia.

“Era só isso [que precisávamos]. Mais nada”, desabafa aquele pintor da construção civil.

Todas as tardes, debaixo de sol, vento ou frio, dezenas de reformados concentram-se no jardim e jogam às cartas, curvados, em bancos de madeira sujos e mal pintados, junto à marina de Faro.

“Podiam por umas mesinhas no jardim, como existe de norte a sul de Portugal”, reivindica, por sua vez, João Neves, 73 anos.

Também o seu parceiro de cartas, Vítor Neto, 70 anos, e reformado há 12, lamenta ter de jogar num banco de jardim de pernas abertas e ainda ter de se deixar fotografar por turistas naquela pose.

“Os turistas tiram fotos, porque devem achar isto uma tristeza”, desabafa à Lusa, queixando-se das dores de costas” que sente depois de uma tarde de cartas.

A maioria dos reformados com quem a Lusa falou queixa-se da falta de condições para realizar o passatempo, mas critica também a falta de pelo menos uma casa de banho pública na baixa da cidade, facto que os obriga a irem a cafés gastar dinheiro ou a satisfazerem as necessidades na rua.

“A capital do Algarve é uma vergonha, não tem uma casa de banho pública”, lança, por seu turno, José Jacinto Pereira, 77 anos, carpinteiro reformado, que joga à bisca dos nove com José Dias, 78 anos, reformado da construção civil, numa espécie de frente a frente, sentado num banco de jardim que faz de mesa de jogo em simultâneo.

As dores de costas são outros lamentos dos idosos reformados. Manuel Mateus, 77 anos, que joga cartas no jardim de Faro vai para 20 anos padece de dores de “espinha” por não haver cadeiras e mesas para os jogadores.

Questionado pela Lusa sobre as reivindicações dos reformados, o presidente da Câmara de Faro, Rogério Bacalhau, declarou que a situação de falta de mesas e cadeiras no Jardim Manuel Bivar e a inexistência de casas de banho públicas “estão referenciadas”, desde a recente campanha eleitoral das autárquicas de 2013, e prometeu rever a situação assim que possível.

“Acho que têm toda a razão e é preciso cuidar do espaço público”, asseverou o presidente da Câmara de Faro, sobre os pedidos dos idosos farenses.

Pub