Pub

A informação foi divulgada no memorando da última reunião que teve lugar na passada segunda-feira (21 de maio), no Seminário de São José, em Faro, presidida pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas.

As propostas analisadas, reportadas da reflexão feita nas quatro vigararias da Igreja algarvia, referem-se principalmente à redefinição da sua pastoral urbana, sendo que os sacerdotes manifestaram “disponibilidade pessoal para tal”. Esta reestruturação incluirá a possibilidade de trabalho conjunto entre sacerdotes, mas a diocese algarvia tem estudado também a “importância do diaconado permanente e dos ministérios laicais” e a “presença e o trabalho das comunidades religiosas”, entenda-se comunidades de consagrados (freiras e frades ou irmãos).

Neste contexto, o documento informa ainda que se refletiu sobre a “possibilidade da ordenação de mais diáconos permanentes” e “foi consensual que os párocos, que assim o entendam, poderão expor à vigararia uma proposta de «candidato(s) a candidato(s)»”, a apresentar, ulteriormente, ao bispo do Algarve.

Recorde-se que, já em maio do ano passado, o Conselho Presbiteral sugeriu a “necessidade de valorizar a identidade presbiteral e a ministerialidade da comunidade cristã que permita abrir caminho e ensaiar reajustamentos de áreas pastorais e de pessoas, tendo em conta as situações reais e as disponibilidades pessoais”.

A reflexão é, portanto, transversal a toda a Igreja algarvia por se dirigir não só à identidade do presbítero (sacerdote), mas também ao exercício de ministérios (serviços) por parte de vários agentes de pastoral, muitos deles não clérigos, como é o caso dos religiosos consagrados (freiras e frades ou irmãos) e dos leigos.

Na reunião de segunda-feira foi ainda apresentado o documento da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) “Diretrizes referentes ao tratamento de eventuais casos de abuso sexual de menores por parte de membros do clero ou praticados no âmbito da atividade de pessoas jurídicas canónicas”, assim como o Programa Pastoral para os próximos anos (2012 a 2017), sob o lema “Ide e anunciai o Evangelho” e, de modo particular, o do próximo ano, que terá como lema “Chamados à Fé – Tende confiança (cf. Jo 16, 33)”.

Os conselheiros decidiram remeter para uma próxima sessão, a reflexão sobre o inquérito promovido pela CEP sobre a realidade da Igreja em Portugal e foram igualmente informados e consultados sobre a situação presente e futura da Rádio Costa d’Oiro e da Tipografia União, empresas de que é proprietária a Diocese do Algarve.

Foi ainda anunciada a celebração do Dia do Clero, em Silves, a 11 de junho e a realização da Jornada Mundial de Oração pela Santificação do Clero, a 15 de junho, e do Simpósio do Clero, a realizar em Fátima de 4 a 7 de Setembro, sob o tema “O padre homem de fé: do mistério ao ministério”.

O Conselho Presbiteral, constituído em cada diocese, é uma espécie de senado do bispo, que representa o presbitério (colégio dos presbíteros), manifesta a comunhão entre o próprio bispo e o seu presbitério e exprime a fraternidade existente entre os sacerdotes. A este órgão consultivo compete auxiliar o bispo no governo da diocese, nos termos do direito e dos estatutos em vigor, para que seja promovido o “bem pastoral do povo de Deus”.

Samuel Mendonça
Pub