Pub

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A Infraestruturas de Portugal (IP) consignou a empreitada de reparação da Estrada Nacional 125 (EN125) entre Olhão e Vila Real de Santo António, prevendo finalizar os trabalhos até meados de julho, anunciou hoje a empresa pública.

A empreitada tem um “valor de cerca de 250 mil euros” e “foi consignada na passada quarta-feira, dia 30 de maio”, estipulando-se “um prazo de execução de 45 dias”, precisou à agência Lusa fonte da Infraestruturas de Portugal, complementando a informação previamente avançada pela empresa num comunicado.

Assim, a maior concessionária de estradas do país estima que a intervenção em causa “esteja concluída até final da primeira quinzena de julho, permitindo que no período de maior afluência turística à região do Algarve (segunda quinzena de julho e o mês de agosto) já estejam repostas melhores condições de circulação e segurança” na EN125 entre Olhão e Vila Real de Santo António, segundo a fonte da empresa.

Os trabalhos, aos quais foi atribuído “caráter de urgência”, foram inicialmente anunciados em 23 de abril e hoje a Infraestruturas de Portugal anunciou que consignou a empreitada de reparação e melhoria das condições de circulação e segurança no troço sotavento (este) da via.

“Serão realizados trabalhos ao nível do pavimento, que envolvem, entre outros, a fresagem e repavimentação, o alteamento das bermas e execução da marcação horizontal da via. A execução desta empreitada com caráter de urgência, com um prazo de execução de 45 dias, permitirá a sua conclusão antes do período do verão, assegurando uma importante melhoria das condições de conforto e segurança para as populações da região, bem como dos milhares de turistas que procuram o Algarve para gozo das suas férias”, anunciou a IP no comunicado.

Após o anúncio destes trabalhos, em abril, as Câmaras de Vila Real de Santo António e Castro Marim e o Movimento de Cidadania dos Utentes da EN125 – Sotavento qualificaram como “obra de fachada” as intervenções urgentes anunciadas para essa via pela Infraestruturas de Portugal.

A intervenção de urgência na EN125 inclui trabalhos de repavimentação e marcação horizontal numa extensão de 38 quilómetros, entre os concelhos de Olhão e de Vila Real de Santo António, e foi anunciada a par de uma requalificação em cerca de 10 quilómetros da EN124, entre o Porto de Lagos (Portimão) e o concelho de Silves, e de outra na EN396, junto ao nó com a A22, em Loulé.

Mas os municípios de Castro Marim e Vila Real de Santo António consideraram que o anúncio feito pela IP e pelo Governo é “um claro desrespeito” pelas populações e “não irá resolver nenhum dos problemas estruturais a que a via chegou nos últimos anos”, além de “ocorrer já em pleno verão, com todos os prejuízos que daí advirão para a atividade turística, moradores e comércio”.

O anúncio da consignação da empreitada surge no mesmo dia em que o Movimento de Utentes da EN125 – Sotavento se reúne com o deputado social-democrata Cristóvão Norte, em Vila Real de Santo António, na sequência da entrega de uma petição com mais de 7.000 assinaturas pela requalificação da parte sotavento da EN125.

Pub