Pub

Demolicoes_praia_monte_ gordoA Câmara de Vila Real de Santo António anunciou na passada segunda-feira o início do processo de demolição de dois apoios de praia abandonados em Monte Gordo, a primeira intervenção da requalificação prevista para aquela zona.

Em comunicado, a autarquia adiantou que a intervenção, a cargo da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), estende-se por duas semanas, marcando o início da requalificação da frente de mar daquela zona balnear, que deverá apenas estar concluída no verão de 2017, com a instalação de dez novos apoios de praia e outros equipamentos.

“As ações só pecam por tardias, até porque não temos medo da palavra demolições, pelo contrário, esta será a oportunidade de dotar a praia de Monte Gordo com um turismo de qualidade e dar a oportunidade de os concessionários investirem em apoios com novas condições e com a dignidade que a praia merece”, refere o presidente da autarquia, citado na nota de imprensa.

As intervenções terão a duração de duas semanas e preveem a demolição dos antigos restaurantes “Firmo”, junto ao Casino de Monte Gordo, e “Celso”, na Praia do Coelho, permitindo a renovação daquelas áreas e a reconstituição do cordão dunar.

O plano geral de requalificação da frente de mar de Monte Gordo – promovido pela autarquia e já aprovado – contempla a remoção das antigas estruturas e a instalação de dez zonas balneares, dez novos apoios de praia simples com equipamento associado e seis outros equipamentos.

Contudo, de acordo com a Câmara, esta segunda fase da operação só deverá arrancar no final desta época balnear, prevendo-se que os trabalhos se estendam até ao início do verão de 2017.

O plano prevê a construção de um passadiço transversal ao longo da praia, que dará a acesso aos novos apoios balneares, assim como a construção de dez pontos de entrada no areal a partir dos estacionamentos e marginal de Monte Gordo.

Segundo a autarquia, esta é “a maior operação urbanística jamais realizada em Monte Gordo” e que irá dar origem à criação de um “passeio marítimo dotado por espaços verdes e de lazer, comércio, lojas e restauração”.

A proposta integra ainda a construção de um hotel na frente de praia e a manutenção do corredor e zonas afetas à atividade piscatória.

As ações cumprem as indicações do Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Vilamoura – Vila Real de Santo António, aprovado em 2005, cujo processo de revisão esteve em curso durante o ano passado.

Pub