Pub

Feito o balanço geral da iniciativa, a ALGAR, empresa responsável pela gestão do Sistema Multimunicipal de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos do Algarve, apresenta bons resultados desta ação na região algarvia.

Durante o dia 24 de março, foram então recolhidas em diversas lixeiras clandestinas, previamente identificadas, cerca de 317 toneladas de resíduos.

A maior parte destes lixos são Resíduos de Construção e Demolição, cerca de 159 toneladas, e eletrodomésticos e móveis antigos, que representaram cerca de 134 toneladas. Foi ainda recolhida uma grande parte de resíduos verdes, num total de quase 19 toneladas. O restante diz respeito a 4,22 toneladas de resíduos sólidos urbanos.

“Agora que a região está substancialmente mais limpa, o nosso desejo é que a população esteja alerta para não permitir que voltem a sujar o Algarve, evitando a necessidade de repetir esta iniciativa em anos futuros”, explica Luís Faísca, presidente do Conselho de Administração da ALGAR.

Pub