Breves
Inicio | Economia | INUAF em risco de fechar por falta de alunos

INUAF em risco de fechar por falta de alunos

InuafO Instituto Superior D. Afonso III (INUAF), em Loulé, não vai abrir novas turmas este ano face à “redução drástica de alunos” e a direção pondera encerrar o estabelecimento, disse hoje o subdiretor da instituição, Manuel Rebelo Marques.

O instituto abriu em 1997 e entre 2000 e 2001 atingiu o seu pico de alunos (cerca de mil), mas atualmente, apesar de ter 11 cursos acreditados, o INUAF funciona apenas com quatro cursos e dois mestrados que, em conjunto, têm menos de cem alunos.

“O número de alunos tem vindo a reduzir, não só no INUAF, mas em todas as instituições universitárias do país, só que nas instituições privadas isso nota-se muito mais porque não temos apoio do Estado”, observou, apontando a crise económica como uma das principais razões para a diminuição de alunos.

Por outro lado, admitiu que existe uma crescente desmotivação para frequentar o ensino superior, sobretudo nos alunos que optam por cursos em horário pós-laboral, que eram a maioria dos alunos daquele instituto.

“Há falta de ânimo das pessoas para tirarem cursos superiores e depois as instituições públicas são muito mais baratas do que as privadas”, sublinhou aquele responsável.

Há três anos que o INUAF enfrenta uma redução consecutiva de alunos, o que já obrigou o instituto a recorrer a uma reserva financeira, obrigatória por lei para situações de emergência.

Segundo o subdiretor do INUAF, apesar de a reserva ainda não ter esgotado, a direção vai decidir até ao final do mês entre a manutenção ou encerramento do instituto, mas com a preocupação de evitar situações de incumprimento com alunos, funcionários, o Estado e outras entidades.

“Vamos ponderar muito bem e, se se concluir que não abrimos, que é a hipótese menos provável, vamos ter de colocar os estudantes noutras instituições, para não serem prejudicados”, concluiu Manuel Rebelo Marques.

Verifique também

Hoteleiros algarvios preocupados com greve de motoristas mas confiantes nos serviços mínimos

A principal associação hoteleira do Algarve mostrou-se hoje “preocupada” com o impacto da greve de …