Pub

“Os trabalhos, já a decorrer, deverão terminar no final deste ano e contemplam a manutenção e reforço da sinalética da Via Algarviana em Alcoutim, a instalação de duas áreas piquenique, uma em Cortes Pereiras e outra entre Balurcos”, explicou a autarquia num comunicado.

A intervenção prevê ainda “a colocação de dois painéis de paisagem, a criação de uma passagem sobre a ribeira da Foupana (do tipo ‘poldra’), a definição e instalação da temática ‘Rota do Contrabandista’, a criação do Centro de Acolhimento a caminhantes e praticantes de BTT em Balurcos (na antiga escola primária) e a produção de um percurso áudio-guiado em torno do troço alcoutenejo da Via”, acrescentou.

O presidente da Câmara de Alcoutim, Francisco Amaral, que dirige um dos concelhos mais afetados pela desertificação no país, disse à Lusa que este investimento vai permitir que o concelho obtenha melhores resultados com a exploração deste percurso pedestre, muito frequentado por turistas alemães e holandeses.

“A Via Algarviana já demonstrou trazer resultados para as aldeias do interior. Em Vaqueiros, uma aldeia isolada na serra algarvia, tem tido uma maior dinâmica em termos de jantares e dormidas devido a este projeto”, exemplificou o autarca.

Francisco Amaral disse ainda que “a Via Algarviana já é uma realidade” e “produz riqueza”, pelo que, se for melhorada, há perspetivas de “haver melhores resultados”.

O projeto agora protocolado prevê ainda, segundo a autarquia algarvia, “ações de informação e promoção, que passam pela produção de diversos materiais de divulgação e pela produção de um vídeo promocional”.

Este projeto é comparticipado em 65% por fundos comunitários e o restante valor será suportado pelo município.

Lusa

Pub