Pub

O cónego José Pedro Martins, pároco da Sé de Faro e presidente da celebração, lembrou, a propósito, o trabalho das irmãs paulinas, uma “missão, escondida mas muito necessária, de levar a palavra de Deus, a boa imprensa e o bom livro, e os demais recursos de que hoje a Igreja se deve servir para chegar com o seu Evangelho, a toda a terra”.

O sacerdote recordou que a religiosa “há 50 anos assumia um projeto de coragem e amor, marcado na aventura da fé, de amar, servir e comunicar Jesus Mestre”. “Precisamos dos consagrados que se empenham sempre ao serviço da comunidade, do reino de Deus e do crescimento do bem em toda a parte. Suscitemos vocações consagradas à nossa volta, rezemos e acompanhemos com a nossa oração estas vocações e sejamos aquele apoio constante”, exortou, agradecendo o “dom” daquele instituto religioso e das irmãs “ao serviço da comunicação social” na Diocese do Algarve. “É muito importante que apreciemos estas generosidades como a das outras comunidades religiosas”, observou o cónego José Pedro Martins.

Há 40 anos a trabalhar em Portugal, a irmã Andreia Berta renovou os seus votos de consagração e, no final da celebração, participada também por muitas religiosas da cidade, agradeceu a homenagem e presença de todos e deixou a garantia de que “Deus é fiel”.

Embora com uma presença regular desde 1971, a congregação das irmãs paulinas apenas se estabeleceu, de forma definitiva, na Diocese do Algarve (em Faro) a partir de 1996.

Samuel Mendonça
Pub