Pub

O Instituto Superior de Teologia de Évora (ISTE) está a comemorar quatro décadas de existência.

Foi em 8 de setembro de 1977 que o então arcebispo de Évora, D. David de Sousa, tomou a iniciativa de fundar um instituto de serviço não só à Arquidiocese de Évora, mas também às dioceses de Beja e do Algarve. Para isso, obteve a anuência dos dois prelados das dioceses vizinhas “porque todos sentiram a mesma preocupação de responder às necessidades das dioceses da Província Eclesiástica de Évora, tanto na preparação dos futuros padres, como na atualização dos que estavam ao serviço e da formação mais aprofundada dos membros dos institutos religiosos e do laicado”, explica o presidente do ISTE. “Juntos fundaram um Centro de Estudos Teológico-Pastorais que, no contexto sócio-religioso do sul do país, procurasse dar a resposta a estas inquietações”, sustenta o cónego José Morais Palos.

Ao longo destes 40 anos, até ao ano letivo de 2016/2017, o curso de Teologia do ISTE, composto por seis anos, foi frequentado por 503 alunos, oriundos das dioceses de Évora, Beja e Algarve, mas também de Bragança e até de fora do país, particularmente de Ondjiva (Angola), de Díli e Baucau (Timor), de Santiago e Mindelo (Cabo Verde) e da Ucrânia. Nos últimos anos recebeu também alunos do Seminário Redemptoris Mater de Évora e Beja.

Também os institutos religiosos, tanto masculinos como femininos, têm procurado o ISTE para formação dos seus membros. Desde 2010/2011, a Sociedade Salesiana em Portugal escolheu a instituição para a formação académica dos seus futuros sacerdotes. Desde os primeiros tempos, porém, o instituto recebeu alunos dos Missionários do Preciosíssimo Sangue, da Congregação das Oblatas do Divino Coração, da Congregação das Irmãs Concepcionistas ao Serviço dos Pobres, da Congregação das Servas da Santa Igreja, das irmãs Adoradoras Escravas do Santíssimo Sacramento e da Caridade, das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias, das irmãs Missionárias do Sagrado Coração de Jesus, das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus, do Instituto Secular das Cooperadoras da Família, da Comunidade Emanuel e Fraternidade dos Irmãozinhos de São Francisco de Assis, da Associação Mater Dei e dos Pequenos Filhos da Mãe de Deus.

Referindo apenas a formação do clero e dos consagrados, deixando de lado as inúmeras atividades desenvolvidas na formação dos leigos, há a salientar também a formação dos diáconos. A partir do momento em que Arquidiocese de Évora decidiu ordenar diáconos permanentes para o serviço de diocese, confiou ao instituto a sua formação académica e doutrinal. Foi elaborado um programa específico de acordo com as possibilidades dos candidatos e o curso foi lecionado por três vezes. Ao todo foram 39 os que frequentaram, incluindo alguns candidatos da Diocese de Beja.

A atualização do clero tem sido outra das áreas confiada ao ISTE desde 2008. Esta atividade foi desenvolvida em várias modalidades, desde a colaboração entre jornadas promovidas pelas dioceses-membros até à organização de cursos temáticos, abrangendo diversas áreas da teologia. “Com o tempo sentiu-se a necessidade de mobilizar em conjunto o clero das três dioceses do sul, proporcionando a reflexão e o estudo de assuntos de caráter teológico-pastoral, cuja atualidade fosse reconhecida durante uma semana”, explica no cónego Morais Palos.

A partir de 2016 associou-se o clero da Diocese de Setúbal que “viu na organização e nos temas destas jornadas uma oportunidade também para a sua atualização”, acrescenta o presidente do ISTE, garantindo que “a experiência tem sido muito enriquecedora porque em vez de cada diocese, com o número cada vez mais reduzido de padres, suportar o peso da realização de encontros formativos, poupam-se assim recursos e as jornadas adquirem também outro dinamismo”.

Pub