Pub

O antigo ministro do Equipamento, do Planeamento e da Administração do Território no governo chefiado por António Guterres foi a personalidade distinguida este ano com a Medalha Grau Ouro. Apesar de ter nascido em Angola, João Cravinho viveu grande parte da sua infância em Alte, terra à qual mais tarde viria a dar um apoio importante na profunda reabilitação urbana de que esta aldeia foi alvo.

“Recordo-me da infância que vivi em Alte e das férias grandes que lá passei. Guardo desse período grandes lições de vida. Ao longo dos tempos fui sempre pensando que algumas lições que vivi em Alte, nunca as poderia ter recebido se não tivesse tido a sorte de ter nessa aldeia uma família, amigos, uma memória. Aprendi com o meu avô o que era a sabedoria”, disse o homenageado, que se fez acompanhar na cerimónia pelo seu filho, o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, João Gomes Cravinho.

“Quando me perguntam de onde eu sou, respondo sempre: Nasci em Angola, sou de Malange, mas aqui em Portugal, sou algarvio, sou de Alte. A minha raiz está em Alte”, adiantou ainda no seu discurso o homenageado.

Por último agradeceu esta distinção, dizendo :“Nada me toca mais do que recordar as minhas raízes, as lições que aqui aprendi, o que marcou nessa passagem por Alte que não sendo longa, foi muito intensa”.

Seguiu-se a entrega das Medalhas de Grau Prata. Primeiro, ao Ateneu – Comercial e Industrial de Loulé, associação de âmbito cultural e espaço de convívio durante décadas da sociedade louletana, à QUARPESCA – Associação de Pescadores e Armadores de Quarteira, pelo papel ativo na defesa da comunidade piscatória desta cidade, e a um dos mais ilustres presidentes da história da região de turismo, Horácio Cavaco Guerreiro.

Já o Grau Bronze, foi entregue, a título póstumo, a duas personalidades do Concelho ligadas ao desporto e à cultura, respetivamente: o ciclista Valério Clara Chocalateiro e ao fundador do Rancho Folclórico Infantil e Juvenil de Loulé, Fernando Correia Soares.

Nesta ocasião, o presidente da Câmara Municipal de Loulé falou de um ato de “reconhecimento a individualidades e instituições que se distinguiram por razões e ações que, ainda que sendo diferentes, todas são reveladoras de convicções, princípios e valores que granjearam a admiração, o apreço, o respeito e, por isso, a gratidão de toda comunidade”.

No dia em que se assinalou mais um aniversário do concelho de Loulé, Seruca Emídio quis fazer um balanço do trabalho realizado pela Autarquia nos últimos anos. Mas mais importante do que as obras físicas, o edil salientou a atenção do seu executivo “nas pessoas e na sua vida”.

Pub