Pub

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

A Jornada de Pastoral Litúrgica, este ano dedicada ao tema “Na Família, chamados ao Amor”, promovida no último sábado pelo Departamento da Pastoral Litúrgica da Diocese do Algarve no Centro Pastoral de Ferragudo e participada por 101 pessoas de todo o Algarve, denunciou a crise da família e também apontou caminhos de esperança.

Na primeira conferência da iniciativa, o padre Pedro Manuel, que discorreu sobre o tema “A Família: comunidade de vida e amor, projeto de Deus Criador”, defendeu que se o amor for vivido como “dom e vocação” por ambos os cônjuges, a rutura não acontece.

O padre Flávio Martins, na segunda reflexão do dia, sobre o tema “A Família e a educação na Fé”, evidenciou que “a maior crise deste tempo é a crise familiar”, resultante da “crise do homem” e, consequentemente, da “crise da sociedade”, que tem como “disfarce” a “crise económico-financeira”.

A jornada contou ainda com um painel sobre “Vivências espirituais e celebrativas na Família” onde foi, sobretudo, valorizada a dimensão testemunhal.

Na última conferência, o padre Carlos de Aquino lamentou a falta de acompanhamento aos casais que pedem à Igreja o sacramento do matrimónio e deixou alguns “desafios pastorais” na jornada que terminou com uma celebração mistagógica.

Pub