Pub

Linda Vieira é uma jovem algarvia de 28 anos, da paróquia de São José das Ferreiras, que desde novembro de 2007 tem vindo a fazer uma experiência de discernimento vocacional na congregação das Filhas de Maria Auxiliadora (salesianas). No próximo dia 5 de agosto irá realizar a sua primeira profissão religiosa no Centro do Turcifal do Patriarcado de Lisboa.
Nos últimos dois anos, Linda Vieira viveu o período de noviciado em Roma, a fase em que é feita a experiência de vida religiosa com as irmãs da comunidade, tendo-se juntado a outras jovens de diversos países da Europa com idades compreendidas entre os 22 e os 40 anos, e com as mais distintas profissões – desde professoras, enfermeiras, médicas, educadoras sociais, químicas, entre outras. Antes tinha sido, durante dois anos, aspirante (alguém que deseja conhecer melhor a vida religiosa mas ainda estando de fora) e postulante (alguém que pede para conhecer um pouco melhor a vida de uma congregação religiosa) na comunidade portuguesa do Monte Estoril.A vocação de Linda Vieira ganhou um novo desenvolvimento após a conclusão, em 2005, da licenciatura em Educação e Intervenção Comunitária. Na altura decidiu disponibilizar algum tempo da sua vida para sua formação pessoal cristã e foi para França, durante um ano, formar-se na Escola Internacional de Formação e de Evangelização da Comunidade Emanuel em Paray-le-Monial, no sul da Borgonha.Prestes a terminar o período de noviciado, a futura irmã, que fará a profissão religiosa, no fim do Retiro Anual das irmãs salesianas, numa celebração presidida por D. Manuel Quintas, bispo do Algarve, na qual tomará posse o novo Governo Provincial (Superiora e conselheiras) daquela congregação, considera que o mesmo foi um “tempo de graça” que agradece a Deus. “Para além de conhecer melhor o instituto que me acolhe e de aprofundar o conhecimento de mim mesma, pude, sobretudo, crescer na minha relação com Jesus e descobrir cada vez mais o seu projeto de amor para a minha vida. Este caminho deu-me a consciência do enorme mistério e tesouro que é a vida consagrada e da minha pouca capacidade de resposta”, avalia a jovem, confessando continuar a sentir que Jesus a atrai e que lhe pede para “continuar a caminhar para Ele”, com os “limites e capacidades” que tem.Foi com esta certeza que pediu ao Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora que a aceite entre os seus membros. “Quero entregar a minha vida a Deus, segundo o projeto carismático salesiano, seguindo os seus fundadores, Dom Bosco e madre Mazzarello, com a comunidade das irmãs na missão que o Senhor me propuser. Sinto-me verdadeiramente eleita pelo Senhor. Não fui eu que O escolhi, foi Ele que me escolheu e me escolhe todos os dias. N’Ele e só n’Ele coloco a minha confiança porque conheço a minha fragilidade”, reforça Linda Vieira que estará no Algarve entre os 6 e 13 de agosto próximo.

Esta primeira profissão religiosa (temporária), com emissão de votos públicos de observância dos três conselhos evangélicos da pobreza, castidade e obediência, será, como preveem as normas da Igreja e do instituto, uma celebração simples e de caráter privado. “É um primeiro «sim oficial», que deve crescer até ao «sim para sempre» que celebrarei daqui a seis anos, se o Senhor o permitir”, explica Linda Vieira, referindo-se à profissão religiosa de votos perpétuos, pedindo aos católicos algarvios “apoio espiritual”, através das suas orações, para o “caminho de felicidade” que assegura estar a realizar.

Samuel Mendonça
Pub