Pub

Segundo o diretor do departamento de Urgência, Emergência Médica e Cuidados Intensivos, o doente está internado na unidade de Pneumologia há três semanas, altura em chegou à região e que, já debilitado, se dirigiu a um centro de saúde.

À margem de uma visita que António José Seguro fez à Urgência do Hospital de Faro na madrugada de hoje, Luís Pereira disse aos jornalistas acreditar que o jovem terá vindo propositadamente para Faro para ser tratado, embora este não o assuma.

"Ele veio todo este trajeto [da Moldávia] de autocarro, que demora cerca de três dias, contagiando quem apanhou pelo caminho", conta, sublinhando que o seu tipo de tuberculose é "altamente resistente" e típico dos países do Leste Europeu.

Apesar de não ser o seu caso, aquele tipo de tuberculose está relacionado com as prisões superlotadas da antiga União Soviética, explica o médico, adiantando que o doente tem família a residir no Algarve.

"As terapêuticas que usamos são muito dispendiosas e não são usadas nos nossos doentes porque não temos aquele tipo [de tuberculose], mas agora vamos passar a ter", avisa o clínico.

O jovem só poderá sair do isolamento quando os bacilos desaparecerem o que poderá demorar no total cerca de três meses, estima Luís Pereira.

"Até os cidadãos moldavos sabem que [o Serviço Nacional de Saúde] funciona e ele não paga um tostão", conclui.

Lusa

Pub